APÓS CRÍTICAS

Nicarágua expulsa missão das Nações Unidas

00:00 · 01.09.2018

Manágua. O governo da Nicarágua expulsou na sexta a missão do Alto Comissariado de Direitos Humanos da ONU, dois dias após a publicação de um contundente relatório sobre os abusos cometidos pelo regime contra manifestantes. O governo do presidente Daniel Ortega ordenou que a missão liderada por Guillermo Fernández Maldonado deixasse o país, denunciou o Centro Nicaraguense de Direitos Humanos (Cenidh).

A decisão é tomada dois dias depois de o organismo emitir um duro relatório sobre os abusos contra manifestantes antigovernamentais. O organismo da ONU anunciou que "continuará o seu trabalho" de monitorar e informar sobre a situação de direitos humanos na Nicarágua.

As manifestações da oposição na Nicarágua, governada desde 2006 pelo ex-guerrilheiro sandinista Daniel Ortega, começaram em abril contra uma reforma da Previdência - mais tarde abandonada. Os protestos foram ampliadas a todo o país como uma reação à violenta repressão, que deixou mais de 300 mortos e 2.000 feridos. Entre as violações, estão execuções extrajudiciais, os desaparecimentos forçados, as prisões arbitrárias e generalizadas, as torturas e os maus-tratos.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.