Gravação vazada

Ministro prevê colapso do Brexit

00:00 · 09.06.2018
Image-0-Artigo-2411907-1
Ministro Boris Johnson teve conversa com conservadores gravada e depois vazada para imprensa ( Foto: AFP )

Londres. O ministro de Relações Exteriores britânico Boris Johnson enfrentou, na sexta, pedidos de renúncia ao sugerir, em uma conversa privada, que teria que encarar o Brexit como Donald Trump o faria e prever um "colapso" das negociações com Bruxelas. Durante um jantar em Londres com outras 20 pessoas, que ele acreditava ser privado, mas cuja gravação foi obtida pelo site BuzzFeed, o eurocético ministro sugeriu: "Imaginem o Trump fazendo o Brexit".

"Ele faria com dureza (...). Teria ataques nervosos de todos os tipos, caos de toda espécie. Todo mundo acharia que ele ficou louco. Mas talvez chegasse a algum lugar", avaliou o ministro. "Estou cada vez mais convencido de que há método na sua loucura".

O ministro avaliou que está chegando a uma fase das negociações e que seu governo "é mais combativo com Bruxelas" e previu que elas vão sofrer um colapso. "Temos que enfrentar o fato de que agora pode acontecer um colapso".

O ministro estimou que a saída da UE, prevista para março de 2019, é "irreversível", mas admitiu: "corremos o risco de que não seja a que queríamos".

Em todo caso, segundo o jornal "The Times", o ministro defendeu uma postura mais combativa com Bruxelas: "levar a luta ao terreno do inimigo. É o que é absolutamente correto. Precisamos fazer isso, e faremos".

Uma fonte próxima a Johnson confirmou sua insatisfação com o vazamento das declarações, sem desmentir nada do que foi dito. "Era um jantar privado sob as regras Chatham House (que significa que não se podia informar de seu conteúdo), assim é triste e muito decepcionante ter sido gravada secretamente e distribuída à imprensa", afirmou esta fonte.

Contudo, as críticas e pedidos de renúncia de Johnson se acumularam, e Bruxelas respondeu, sem citá-lo, que não vai se deixar impressionar.

Através de um porta-voz, a primeira-ministra Theresa May reiterou sua confiança em seu ministro.

Já sua rival Nicola Sturgeon, chefe do governo escocês e líder do Partido Nacional Escocês independente (SNP), pediu sua renúncia. "Eu não acho que Boris Johnson seja alguém que deveria ocupar um dos cargos mais altos do Estado", disse.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.