Norte da áfrica

Maior desastre aéreo da Argélia tem 257 mortos

Avião do Exército com soldados e parentes a bordo caiu em uma área desabitada; a causa do acidente é investigada

Aeronave modelo Ilyushin IL-76, que é de fabricação russa, pegou fogo e ficou destruída na 17ª tragédia com o maior número de vítimas da história ( Foto: AFP )
00:00 · 12.04.2018

Boufarik. Um avião do Exército argelino caiu ontem pouco depois de decolar da base aérea de Boufarik, cerca de 30 km ao sul de Argel, matando 257 pessoas, a maioria soldados. Foi o pior desastre aéreo da história na Argélia, país do norte da África.

Um fotógrafo da agência de notícias France Presse no local viu a fuselagem da aeronave carbonizada em uma área desabitada, um campo localizado a cem metros dos muros da base aérea. As chamas que destruíram quase todo o avião foram extintas, constatou. Dezenas de caminhões de bombeiros e centenas de ambulâncias estavam no local, que foi isolado pelas forças de segurança que impediam jornalistas e espectadores de se aproximarem.

O acidente matou 257 pessoas, em sua maioria soldados e membros de suas famílias, informou o ministério da Defesa da Argélia. As vítimas são os dez membros da tripulação e 247 passageiros, "a maioria membros do Exército Nacional Popular, bem como membros de suas famílias", indicou o ministério, sem mencionar sobreviventes.

Investigação

O vice-ministro da Defesa, igualmente chefe do Estado Maior do Exército Nacional Popular (ANP, Forças Armadas da Argélia), o general Ahmed Gaïd Salah, foi ao local do acidente e ordenou o "estabelecimento imediato de uma comissão de inquérito para determinar as circunstâncias do acidente", segundo o ministério da Defesa.

Campos de refugiados

A aeronave acidentada era um Ilyushin IL-76, de fabricação soviética e depois russa. Segundo o site do fabricante, o IL-76 pode transportar entre 126 e 225 passageiros, dependendo da versão. O avião fazia o trajeto Boufarik-Tindouf-Bechar.

Tindouf, a 1.800 km de Argel, perto das fronteiras de Marrocos e Sahara Ocidental, abriga muitos campos de refugiados sarauís, bem como a sede do governo da República Árabe Saaraui Democrática (RASD), proclamada em 1976 pelos separatistas da Frente Polisario.

O Polisario, apoiado por Argel, reivindica a independência do Saara Ocidental, reivindicada pelo Marrocos, que ocupa a maior parte desde 1975. Nenhuma hipótese foi antecipada para explicar o acidente. Em número de mortos envolvendo aviões, esse é o 17º incidente da história.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.