Se perder eleição

Maduro admite aceitar resultado

00:00 · 19.05.2018 / atualizado às 01:00

Caracas. O presidente da Venezuela e candidato à reeleição, Nicolás Maduro, conclamou na sexta-feira seus adversários a reconhecer o resultado das eleições do próximo domingo, qualificadas de “fraudulentas” pelo grosso da oposição.

“Dou a garantia do meu país de que aceitarei os resultados eleitorais”, acrescentou o presidente socialista, que previamente recebeu o ex-chefe de governo espanhol José Luis Rodríguez Zapatero no Palácio Presidencial.

Zapatero será um dos observadores do processo. “Assim que o povo exercer seu direito de voto (...), todos os candidatos devem se comprometer a aceitar o resultado eleitoral, qualquer que seja”, disse Maduro diante de observadores internacionais.

Maduro tem como principais adversários o chavista dissidente Henri Falcón e o pastor evangélico Javier Bertucci.

A Mesa da Unidade Democrática (MUD), que reúne os principais partidos de oposição, boicotou as eleições, que qualifica de “farsa”. Estados Unidos, União Europeia e vários países da América Latina apoiam a MUD e condenam as eleições, antecipadas pela Assembleia Constituinte, dominada pelos chavistas.

Um grupo de opositores presos pôs fim a um protesto na sede do Serviço de Inteligência (Sebin) em Caracas, ao qual havia se somado um americano acusado de espionagem, informou um dos reclusos na sexta.

“Queremos informar ao país que a esta hora as instalações já estão sob controle dos funcionários do Sebin”, disse o opositor Villca Fernández em um áudio enviado à imprensa pela internet das celas do edifício policial.

Ao menos 20 familiares permaneciam na sexta-feira nos arredores do complexo.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.