Furacão de categoria 4

Leste dos EUA em alerta máximo por 'Florence'

Capital dos EUA decreta estado de emergência; Trump previu 'uma das piores tempestades' em décadas na região

00:00 · 12.09.2018

Washington/Maryland. Uma vasta área da costa leste dos EUA se prepara para a passagem do furacão Florence, que avançava nesta terça-feira com ventos de mais de 220 km/hora, o que levou as autoridades a ordenar que mais de um milhão de pessoas abandonem suas casas.

Os estados da Carolina do Norte e do Sul e da Virgínia, os mais ameaçados, foram declarados em estado de emergência, assim como Maryland e a capital federal Washington (Distrito de Columbia), ante o risco de chuvas torrenciais e inundações.

Ontem, o fenômeno avançava como um furacão categoria 4, de uma máxima de 5 na escala de Saffir Simpson, com ventos de 215 km/h, de acordo com o último boletim do Centro Nacional de Furacões (NHC), que tem sede em Miami.

O olho de Florence deve passar entre Bermudas e as Bahamas entre hoje e amanhã, informou o NHC.

Segundo previsões, ele deverá se fortalecer ainda mais nesta terça, numa tendência que continuará hoje. Florence será "um furacão intenso extremamente perigoso". Mais de um milhão de moradores da costa leste norte-americana receberam ordens para que deixem suas residências.

"Esta é uma das piores tempestades que afetará a costa leste em muitos anos", escreveu o presidente Donald Trump no Twitter. "Preparem-se, tenham cuidado e fiquem seguros", recomendou. A capital Washington foi declarada em estado de emergência. A prefeita de Washington, Muriel Bowser, explicou que a medida garante imediatamente os recursos necessários para enfrentar a crise causada pela forte tempestade. Os meteorologistas preveem que o furacão ganhará força ainda hoje, com um deslocamento para oeste-noroeste a 24 km/h.

Evacuações

O governador da Carolina do Norte, Roy Cooper, ordenou a evacuação das Outer Banks, barreiras de ilhas muito procuradas por turistas, e de áreas do condado de Dare. "Aqui na Carolina do Norte estamos nos preparando para um golpe forte", disse.

Os estados da Carolina do Norte e do Sul, assim como a Virgínia, mais ao norte, se declararam em emergência para acelerar os planos de contingência.

Fortes chuvas no fim de semana na região de Washington já provocaram inundações em Alexandria, Virginia, e o Serviço Nacional de Meteorologia emitiu um alerta de inundações para parte do rio Potomac.

Em Charleston, uma antiga cidade portuária da Carolina do Sul, os moradores se preparavam para encher sacos de areia e comprar mantimentos antes do início do grande êxodo.

Isaac e Helene

Outros dois furacões sopram no Atlântico em um momento no qual a temporada dessas tormentas, que termina em 30 de novembro, alcança seu auge em setembro. Isaac sopra com força de categoria 1 e com ventos máximos firmes de 120 km/h a leste das Pequenas Antilhas.

Sua trajetória o mostra atravessando amanhã as mesmas ilhas caribenhas que foram devastadas em 2017 pelos furacões Irma e Maria. Mais a leste, perto das ilhas de Cabo Verde, perto da costa da África, o furacão Helene soprava com ventos de 165 km/h, mas se dirigia ao norte do Atlântico sem representar perigo para nenhuma costa.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.