SOBRE EVENTUAL REUNIÃO

Irã recebe com tom cético aceno de Trump

00:00 · 01.08.2018 / atualizado às 13:30

Teerã/Washington. O Irã recebeu com ceticismo a oferta de Donald Trump de se reunir com os líderes iranianos "quando quiserem", com as principais autoridades do país evitando uma reação imediata à proposta.

Apesar de sua franca hostilidade em relação ao regime iraniano, que se materializou notavelmente pela saída dos EUA do acordo nuclear iraniano, Trump pareceu abrir as portas, na segunda, para discussões no mais alto nível, sem pré-condições.

As reações foram, em geral, muito negativas nos círculos políticos iranianos.

O vice-presidente do Parlamento, Ali Motahar, declarou agência Fars que discutir com Trump "seria uma humilhação".

"A América não é confiável", apontou por sua vez o ministro do Interior, Abdolreza Rahmani Fazli, segundo a Fars.

"Depois de sua retirada arrogante e unilateral do acordo nuclear, como podemos confiar?"

 

Retorno ao acordo

Um assessor do presidente iraniano Hassan Rohani assegurou que qualquer discussão com os EUA deveria começar com "o respeito pela grande nação iraniana, a redução das hostilidades e o retorno dos EUA ao acordo nuclear" de 2015, estimou Hamid Aboutalebi. O porta-voz do ministério iraniano das Relações Exteriores havia considerado como "impossíveis" discussões com a atual gestão americana.

Já Trump está se preparando para reimpor as sanções ao Irã em duas etapas, em 6 de agosto e em novembro.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.