Advertência

Irã ameaça Trump com mãe de todas as guerras

00:00 · 23.07.2018
Image-0-Artigo-2429951-1
Presidente do Irã, Hassan Rouhani, voltou a enviar um recado duro à Casa Branca, após sofrer novas sanções, além da retirada dos EUA do pacto nuclear ( Foto: AFP )

Teerã. O presidente iraniano, Hassan Rohani, advertiu neste domingo que os Estados Unidos não deve "brincar com o rabo do leão", já que um conflito com o Irã seria "a mãe de todas as guerras".

A advertência foi feita horas antes do esperado discurso sobre o Irã do secretário de Estado americano, Mike Pompeo.

"Você nos declara a guerra e depois fala da vontade de apoiar o povo iraniano", afirmou Rohani aludindo a seu colega americano Donald Trump durante uma reunião de diplomatas iranianos.

"Não podem provocar o povo contra sua segurança e seus próprios interesses", afirmou em um discurso pela televisão.

Rohani também advirtiu que o Irã controla e poderá fechar o Estreito de Ormuz, um ponto estratégico no Golfo Pérsico por onde circula 30% do petróleo transportado por via marítima em nível mundial.

Depois de sua saída do acordo nuclear, os Estados Unidos buscam aumentar a pressão sobre a República Islâmica.

Ataques

Um ataque aéreo israelense tomou como alvo neste domingo (22) uma posição militar das forças do regime no oeste da Síria, informaram os meios de comunicação oficiais sírios.

"Uma de nossas posições militares em Massyaf sofreu uma agressão aérea israelense", informou a agência oficial Sana, citando uma fonte militar que só se refere a danos materiais.

Israel lançou recentemente vários ataques aéreos contra posições do regime sírio e de seu aliado iraniano.

Uma porta-voz do Exército israelense se recusou a comentar, pois seu país raramente confirma suas incursões militares na vizinha Síria.

"O local atacado neste domingo é uma oficina supervisionada pelos iranianos, onde são fabricados mísseis terra-terra de curto alcance", afirmou o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH), ONG que tem uma vasta rede de fontes em Síria.

"As forças iranianas e o movimento libanês Hezbollah estão nesse setor", detalhou à AFP o diretor do OSDH, Rami Abdel Rahmane.

O Irã e o Hezbollah libanês, dois inimigos de Israel, são os principais aliados do regime sírio junto com a Rússia.

Israel reiterou em várias ocasiões sua rejeição que a Síria se torne uma cabeça-de-ponte iraniana.

A região de Massyaf também abriga uma filial do Centro de Pesquisas e Estudos Científicos da Síria (SSRC), já atacado em setembro de 2017 pelo Exército israelense.

Esse órgão é acusado pelos Estados Unidos de ajudar a produzir gás sarin e fabricar armas químicas, mas o poder sírio nega que recorra a esse tipo de arsenal.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.