País em alerta

Furacão Sandy atinge a Costa Leste dos EUA e deixa dez pessoas mortas

01:27 · 30.10.2012
Segundo autoridades locais, inundações chegaram a áreas costeiras, e milhares ficaram sem luz

Nova York. A tempestade Sandy, que promete ser a maior da história dos Estados Unidos, tocou o solo na costa de Nova Jersey, na noite de ontem, com ventos sustentados de 130 km/h, a 10 km a sudeste de Atlantic City.

Ao chegar a Nova York começou a provocar as primeiras tragédias. Inundações, desabamentos e ao menos dez mortes foram reportadas ontem a noite em diversos estados, segundo a Globo News e a Associated Press.

Expectativa

Moradores de Nova Iorque observavam, na tarde de ontem, a tempestade em um parque ao longo do Rio Hudson, em frente ao Empire State Building. As fortes chuvas e ventanias que precediam o fenômeno, no entanto, já haviam deixado marcas de destruição em várias cidades americanas


Somente no Estado de Nova York, cinco pessoas morreram, entre elas estão duas crianças, atingidas por uma árvore. No bairro do Queens, um homem que assistia televisão em casa também morreu com a queda de uma árvore sobre sua residência, segundo a Polícia.

Mais duas pessoas morreram em New Jersey. Uma mulher morreu supostamente de um ataque do coração durante o deslocamento dos habitantes de Atlantic City para áreas mais seguras. A outra pessoa morreu atingida por uma árvore.

Na primeira hora após sua passagem, Sandy era considerado pelos meteorologistas um "ciclone pós-tropical". Essa classificação significa que a tempestade ainda tinha ventos com a força de um furacão, mas com as características de um ciclone tropical.

Segundo a imprensa americana, pelo menos 2,2 milhões de pessoas em 11 Estados do país, além do Distrito de Colúmbia, já estariam sem luz devido à tormenta. A distribuidora de energia National Grid informou que até 60 milhões de americanos podem ficar às escuras.

Um prédio no número 92 da 8ª Avenida, em Manhattan, perdeu a fachada com a proximidade do fenômeno. Nenhum morador se feriu no acidente.

Durante todo o dia de ontem, o furacão Sandy, castigou áreas densamente habitadas da Costa Leste, paralisando transportes, provocando a desocupação de áreas alagáveis e interrompendo a campanha para a eleição presidencial.

As bolsas de valores do país fecharam pela primeira vez desde os atentados de 11 de setembro de 2001 e continuarão sem funcionar hoje. Órgãos públicos fecharam em Washington e aulas foram canceladas em toda a Costa Leste.

Em discurso na TV na tarde de ontem, o presidente Barack Obama disse que a passagem do Sandy será "difícil" e que a previsão é a de que a situação só volte ao normal dentro de "vários dias". Neste período, disse, várias áreas do país deverão ficar sem eletricidade.

"Essa será uma tempestade grande e poderosa e acredito que todos ao longo do litoral leste estão se preparando de forma apropriada", disse Obama, que cancelou a agenda de campanha para monitorar a reação governamental à tempestade.

O presidente fez um apelo para que os cidadãos americanos obedeçam às orientações das autoridades e deixem suas casas, caso necessário.

"Se mandarem você sair de casa saia. Não adie. Pode haver efeitos mortais para quem não agir rapidamente", alertou o democrata, destacando que aqueles que se recusam a sair colocam as equipes de resgate em risco. Ele informou que deverá levar muitos dias para a água baixar. "Mesmo sem chuva, deve demorar", disse.

Os preparativos atingem, ao todo, nove Estados americanos (Nova York, Maryland, Pensilvânia, Virgínia, Connecticut, Nova Jersey, Massachussets, Delaware e Rhode Island), além do Distrito de Columbia, onde fica a capital, Washington.

Governadores estaduais de Virgínia a Massachusetts alertaram para o grave perigo decorrente da tempestade.

Cidade fantasma

Nova York, aquela que nunca dorme, ontem parecia uma cidade fantasma. No início da tarde, o comércio ficou vazio e até as redes de "fast food", sempre lotadas, fecharam as portas.

Muitos americanos compraram lanternas, velas e pilhas e em alguns supermercados esses produtos acabaram ainda na tarde de domingo. Até geradores de energia estão esgotados, por causa da forte procura.

O prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, disse, ontem, que as condições causadas pelo furacão Sandy "estão se deteriorando rapidamente" e a cidade voltaria ao normal aos poucos.

Cotidiano modificado

Expectativa
Moradores de Nova Iorque observavam, na tarde de ontem, a tempestade em um parque ao longo do Rio Hudson, em frente ao Empire State Building. As fortes chuvas e ventanias que precediam o fenômeno, no entanto, já haviam deixado marcas de destruição em várias cidades americanas

Alagamento
A White Horse Pike, uma das três vias principais para Atlantic City, New Jersey, foi coberta pela água, durante a aproximação do furacão Sandy, que ao tocar no continente se tornou um "ciclone pós-tropical", o que significa que ainda tem ventos com força de furacão

Perigo
O vento deixou a grua pendurada num prédio em construção em Manhattan. A área foi esvaziada por precaução

Prejuízos
Um operário corta uma árvore que caiu em cima de um carro em Hoboken, Nova Jersey. O ciclone tropical Sandy castigou, com ventos acima de 120 quilômetros por hora, a costa leste americana que é densamente povoada, prejudicando os transportes, forçando evacuações em zonas propensas a inundações e interrompendo a campanha presidencial, marcada para a próxima semana Fotos: Reuters

Cearenses relatam clima de tensão por tempestade

Cearenses que moram nos Estados Unidos relataram, ontem, ao Diário do Nordeste, o clima de tensão e as recomendações de segurança nas cidades que estão na rota de passagem da super-tempestade tropical.

A publicitária cearense Lis Aguiar, que mora com mais três amigas cearenses no bairro Woodside, no Queens, contou que Nova York está praticamente parada e que áreas de risco foram evacuadas. "Aqui está tudo parado. Sem trens, sem ônibus, algumas estradas interditadas pra evitar que as pessoas possam ir para as áreas de maior risco".

De acordo com Lis, o governo indica à população que fique em casa e compre suprimentos. "As recomendações são ficar em casa, comprar água e comida. Se sua casa for perto do litoral, colocar madeiras nas janelas e ficar longe das janelas. Em caso de a casa ser atingida, ficar debaixo da viga da porta que é a área mais segura da casa", disse.

Em Nova Jersey, outros cearenses estão se preparando para a chegada do furacão. A jornalista Lisiane Linhares e o marido, gerente de projetos, Rafael Lopes, contaram que estão sendo constantemente atualizados sobre a situação pelo governo, com recomendações do que deve ser feito e telefones de emergência.

"Eles (as autoridades locais) recomendam que tenhamos um rádio a pilha ligado no canal do tempo, que retirássemos dinheiro e que arrumássemos mochilas com alguma muda de roupa e documentos importantes caso seja necessária uma evacuação emergencial", descreve a jornalista, que mora em um apartamento próximo ao rio Hudson, área passível a inundações.

Voos cancelados

Pelo menos 16 voos entre o Brasil e os Estados Unidos foram cancelados ontem devido ao mau tempo provocado pelo furacão Sandy, que atinge a costa leste americana.

A Infraero, empresa que administra aeroportos no Brasil, recomenda a passageiros que tenham voos para os EUA que entrem em contato com suas companhias aéreas para verificar possíveis atrasos ou cancelamentos.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.