Oriente Médio

'Falcão' dos EUA critica Irã durante visita aos aliados

Mike pompeo acusa Teerã de apoiar terroristas e o "regime assassino de Assad", presidente na Síria

00:00 · 30.04.2018
a
Novo “falcão” da diplomacia dos EUA, Mike Pompeo (e) discutiu com o premiê de Israel sobre acordo nuclear com o Irã e outros conflitos no Oriente Médio ( Foto: AFP )

Tel Aviv. O novo secretário de Estado americano, Mike Pompeo, criticou nesse domingo o Irã em reuniões com os líderes sauditas e em seu desembarque em Israel, com o objetivo de informar os aliados de seu país sobre a ameaça do presidente Donald Trump de abandonar o acordo nuclear iraniano.

O chefe da diplomacia dos Estados Unidos, que viajou poucas horas depois de tomar posse, se reuniu nesse domingo com o rei Salman e jantou no sábado com o príncipe herdeiro, Mohamed bin Salman.

Pompeo voou para Tel Aviv para uma reunião com o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, e depois viajará até a Jordânia, encerrando um fim de semana de conversas com alguns dos principais rivais do Irã na região.

Depois das reuniões em Riad, o secretário acusou o Irã de desestabilizar o Oriente Médio, inclusive com o apoio ao presidente sírio, Bashar al-Assad, e aos rebeldes xiitas no Iêmen.

O Irã "apoia milícias e grupos terroristas. É um fornecedor de armas aos rebeldes huthis no Iêmen e realiza campanhas de pirataria cibernética. Também apoia o regime assassino de Asad", afirmou Pompeo em uma entrevista coletiva ao lado do chefe da diplomacia saudita, Adel Al Jubeir. Donald Trump deve decidir até 12 de maio se adota novas sanções contra Teerã, colocando em risco o acordo nuclear de 2015 que muitas potências consideram vital para evitar que o Irã produza armas atômicas. Jubeir pediu novas sanções contra Teerã por seu programa de mísseis balísticos e sua "interferência nos assuntos dos países da região".

O Irã foi acusado de fornecer mísseis aos huthis xiitas no Iêmen, que no sábado atacaram a Arábia Saudita. Riad iniciou em 2015 uma intervenção militar contra os rebeldes, depois de assumir o controle de grandes partes do país vizinho.

Netanyahu disse que o acordo nuclear iraniano seria o grande tema do encontro com Pompeo. "Acredito que é importante que (Pompeo) venha a Israel como parte de sua primeira viagem oficial fora dos Estados Unidos como secretário de Estado", disse Netanyahu.

Coreia do Norte

O secretário de Estado americano, Mike Pompeo, afirmou que observa uma "verdadeira oportunidade" de avanço depois de sua reunião com Kim Jong Un (no fim de semana da Páscoa, quando ainda era diretor da CIA), ao destacar que uma solução com a Coreia do Norte deve passar pela diplomacia.

"Temos a obrigação de nos comprometermos com um discurso diplomático para tentar encontrar uma solução pacífica, para que os americanos não sejam ameaçados por Kim Jong Un e seu arsenal nuclear", afirmou Mike Pompeo.

O presidente sul-coreano Moon Jae-in se reuniu com o líder norte-coreano em um encontro de cúpula histórico na sexta-feira, durante o qual anunciaram que pretendem trabalhar para uma paz permanente e a completa desnuclearização da península coreana.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.