Luto na dramaturgia

Estados Unidos perdem Neil Simon

00:00 · 27.08.2018

Nova York. O dramaturgo norte-americano Neil Simon, o escritor com mais indicações ao Oscar e ao Tony, morreu ontem aos 91 anos, informou um amigo do artista. Simon se tornou uma lenda do teatro nos Estados Unidos graças a obras como "Um estranho casal" (1965),"Uma dupla desajustada" (1974), "Descalços no Parque" (1963) e "Lost in Yonkers" (1990).

Nascido em Nova York e criado durante a época da Grande Depressão, Simon faleceu devido a complicações derivadas de uma pneumonia, explicou Bill Evans à ABC News seu amigo nos últimos trinta anos.

Sua esposa, sua filha e seu neto estavam ao seu lado, acrescentou. A revista Time lhe prestou uma homenagem, lembrando que ele foi autor de mais de 30 peças de teatro, uns 20 roteiros e cinco comédias musicais.

Várias de suas peças teatrais foram adaptadas para o cinema ou a televisão, como "A garota do adeus" (1977), que rende um Oscar de melhor ator a Richard Dreyfuss, e "Um estranho casal" (1968), como Walter Matthau e Jack Lemmon. Embora muitos de seus trabalhos tenham sido considerados obscuros, foi visto como o autor que formatou a comédia americana nos anos 1960 e 1970, em uma linha muito similar a de Woody Allen.

'Rei da comédia'

Conhecido por salpicar suas obras com uma grande dose de frases espirituosas, Simon ganhou o apelido de rei da comédia. A maior parte de sua obra se centrou na luta cotidiana da classe média, que usava para explorar o que ele denominava de "guerras domésticas" e o conflito interfamiliar, mergulhando em suas lembranças de infância em uma família de poucos recursos do bairro do Bronx.

"Era um escritor e um artista que não podia evitar fuçar as profundezas de seu foro íntimo para extrair novas coisas. Como todo artista criativo, tinha essa compulsão por explorar mais e mais", diz Evans. "Escrevia todos os dias", acrescentou.

Durante sua carreira, Neil Simon ganhou um Pulitzer, um Globo de Outro e três Tonys.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.