Diplomacia

Espanha reata com a Venezuela

00:00 · 20.04.2018
Nicolás Maduro
Nicolás Maduro, líder venezuelano, busca avanços na cooperação do seu país com a União Europeia ( Foto: AFP )

Madri. Espanha e Venezuela acertaram, ontem, o regresso "nos próximos dias" de seus respectivos embaixadores para normalizar as relações bilaterais. As duas chancelarias anunciaram que "acertaram o início de um processo de normalização de suas relações diplomáticas em benefício de seus cidadãos, que estão unidos por estreitos vínculos que devem ser preservados".

Como parte deste esforço, "foi acertado hoje o regresso, nos próximos dias, de seus embaixadores, com o objetivo de restituir os canais de diálogo diplomático entre os dois governos", citaram os dois países.

O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, que mantém uma áspera relação com o chefe de governo espanhol, Mariano Rajoy, comemorou o acordo e disse esperar melhores vínculos com todos os países da União Europeia (UE). "Oxalá com Espanha e União Europeia possamos seguir avançando em novos passos para o entendimento e a cooperação". A UE rejeita as eleições antecipadas de 20 de maio na Venezuela, nas quais Maduro busca a reeleição e que a oposição decidiu boicotar.

Rajoy tem apoiado de maneira aberta várias figuras da opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD), e seu governo concedeu a nacionalidade espanhola a opositores e seus familiares, como o político Lester Toledo e os pais de Henrique Capriles.

Além de reatar com a Espanha, Maduro felicitou, ontem, o novo presidente de sua aliada Cuba, Miguel Díaz-Canel.

"Miguel Díaz-Canel demonstra retidão, eficiência em cada responsabilidade, das tantas que a direção da revolução encomendou a ele", enfatizou nota de Maduro. Ele manifestou ainda "sua profunda admiração pelo ex-presidente Raúl Castro" por consolidar "o projeto socialista na sociedade cubana".

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.