QUEDA DE AVIÃO

Cuba identifica 20 vítimas de tragédia

O país caribenho permaneceu em luto oficial decretado pelo Conselho de Estado desde às 6h de sábado até as 23h59 de ontem ( Foto: Agência France Presse )
00:00 · 21.05.2018

Havana/P. C. Branco. Cuba identificou até ontem 20 dos 110 mortos do acidente aéreo ocorrido na sexta-feira (18) com o Boeing 737-200 alugado pela Cubana de Aviación. “Estimamos em cerca de um mês o tempo que levará as investigações”, disse o diretor do Instituto Médico Legal, Sérgio Rabel. 

O desastre aconteceu quando a aeronave acabava de decolar do aeroporto internacional da capital cubana para Holguín (leste). Estavam a bordo 113 pessoas: 99 cubanos, seis tripulantes mexicanos e cinco estrangeiros: um casal argentino, uma mexicana e dois saharauis.

Três mulheres cubanas sobreviveram ao acidente e estão em estado crítico, segundo as autoridades do hospital “Calixto García”, onde elas seguem internadas. “Muitas mensagens vieram de todos os cantos do mundo”, indicou o presidente Miguel Díaz-Canel. Especialistas internacionais e da companhia mexicana Damojh (Global Air), proprietária da aeronave, e da Boeing (fabricante), continuam a busca pela segunda caixa-preta. Cuba permaneceu em luto oficial decretado pelo Conselho de Estado desde às 6h de sábado até as 23h59 de ontem.

Entre as 110 vítimas está o médico da família Jorge Alberto Borrego Cabrera, 39 anos, que trabalhava desde 2014 em Presidente Castelo Branco, no Paraná, no programa Mais Médicos. 

Atualmente, 8.557 médicos cubanos atuam no Brasil dentro do Mais Médicos. Eles trabalham no País por intermédio de um convênio com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), firmado em 2013.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.