BRASILEIROS NOS EUA

Crianças mantidas em abrigo são devolvidas aos pais

00:00 · 13.07.2018

Chicago/Innsbruck. Dois menores brasileiros mantidos há mais de um mês em um abrigo em Chicago foram devolvidas aos pais, ontem, perto do fim do prazo de 72 horas estabelecido por um juiz para que a reunião ocorresse. A advogada Amy Maldonado, que atua no caso, informou que C.D.A., de 9 anos, foi reunido a seu pai e que ambos devem seguir para Berks, condado na Pensilvânia.

W.S.R., de 16 anos, está em processo de reunificação com o pai em El Paso, Texas. O pai do adolescente será liberado mediante uso de tornozeleira eletrônica, segundo Maldonado.

Ambos foram liberados faltando pouco tempo para terminar o prazo de 72 horas dado na segunda-feira (9) por um juiz da corte federal de Chicago para que a reunião ocorresse.

Na decisão de segunda, o juiz Edmond Chang afirmou que a "insistência" do governo em manter pais e filhos separados era "chocante para a consciência" e "arbitrária".

Segundo o magistrado, os meninos, que estavam separados dos pais desde 25 de maio, sofreram dano mental "irreparável".

Os pais de ambos foram flagrados tentando cruzar a fronteira entre Estados Unidos e México.

Segundo o jornal "Chicago Tribune", eles não estavam com as crianças ao tentar entrar nos EUA. Ambos buscavam asilo no país, citando ameaças de violência de traficantes de drogas no Brasil. Os dois foram processados por tentar entrar ilegalmente nos EUA, e, de acordo com a ordem do juiz, receberam a informação de que, em cinco dias, seriam reunidos com seus filhos, o que não aconteceu. Na decisão, ele diz que o governo interferiu no direito dos meninos de serem reunidos a seus pais.

O juiz cita a piora do estado mental dos menores durante a detenção, afirmando que relatório de psicólogos indica que ambos sofriam de ansiedade severa e depressão, e que começaram a se machucar e também a ferir outras crianças.

Até agora, o governo reuniu 57 crianças imigrantes aos pais, pouco mais da metade do total de 103 menores. Além disso, tem até 26 de julho para reunir outras 2.000 crianças separadas dos pais como resultado da política de tolerância zero do governo americano.

UE

Já a União Europeia promoveu reunião entre ministros do Interior do bloco se ontem na Áustria para buscar novos projetos que impeçam a chegada de migrantes ao território europeu, uma questão que divide o bloco.

A reunião foi organizada sob a presidência austríaca da UE, que advoga pelas opções radicais no tema migratório.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.