Entre líderes

Coreias têm aperto de mão histórico

Após um ano de tensão na península coreana, os dois países sinalizam reaproximação, mesmo tecnicamente em guerra

Kim Yo Jong, irmã do ditador norte-coreano Kim-Jong Un, cumprimentou o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, na abertura dos Jogos de Inverno ( FOTO: AFP )
00:00 · 10.02.2018

PyeongChang. A irmã do líder norte-coreano Kim Jong Un, que faz uma visita história à Coreia do Sul por ocasião os Jogos Olímpicos de Inverno, apertou a mão do presidente sul-coreano Moon Jae-in na cerimônia inaugural olímpica na sexta-feira.

Kim Yo Jong, a primeira integrante da dinastia governante do Norte a visitar o Sul desde o fim da Guerra da Coreia, em 1953, encontrou Moon no início da cerimônia em Pyeongchang. A cerimônia inaugural dos Jogos de Inverno começou pouco depois das 20h locais (8h em Fortaleza) em Pyeongchang. As competições vão até 25 de fevereiro.

Em outubro, ao ascender ao poderoso politburo (principal órgão) do partido único da Coreia do Norte, Kim Yo Jong se tornou a figura feminina mais influente da hierarquia política desse país.

No papel de chefe da delegação norte-coreana, está Kim Yong Nam, oficialmente o chefe de Estado, mas cujo papel é simbólico. "De fato, a verdadeira chefe é Kim Yo Jong", diz o analista Cheong Seong-chang, do Instituto Sejong.

Alguns especialistas esperam que ela entregue uma mensagem de seu irmão ao presidente sul-coreano Moon Jae-in, que almoça hoje com a delegação.

A liderança da Coreia do Norte sempre foi um caso de família. Mas os benefícios substanciais ligados ao poder podem ter um custo alto: um passo em falso pode ter consequências catastróficas, até mesmo fatais. O tio de Kim Jong-Un foi executado por traição em 2013. Seu meio-irmão Kim Jong Nam foi assassinado no aeroporto de Kuala Lumpur em fevereiro, envenenado por um agente neurotóxico em um ataque que, segundo especialistas em Coreia do Norte, só poderia ter acontecido com a autorização do líder norte-coreano.

Yo-Jong tem 30 anos, o que a torna a mais nova integrante do politburo. É a única dos irmãos a ter um título oficial.

Na sexta, a mídia norte-coreana confirmou a destituição por corrupção (por receber suborno) do chefe das Forças Armadas, Hwang Pyong So. Ele foi enviado para um centro de reeducação do partido.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.