COREIA DO NORTE

Contexto de crise entre potências é pano de fundo

00:00 · 07.10.2017

Pyongyang/Washington. Ao mesmo tempo em que uma campanha contra a proliferação de armas nucleares recebe o prêmio Nobel da Paz, a retórica belicista de Pyongyang e Washington só aumenta.

A Coreia do Norte, por exemplo, estaria se preparando para testar um míssil de longo alcance "num futuro muito próximo", segundo afirmou o legislador Anton Morozov, do Partido Liberal-Democrático da Rússia.

> Grupo antinuclear leva o prêmio Nobel da Paz

Ele fez parte de uma comitiva que visitou esta semana Pyongyang, onde teria visto cálculos que indicavam que os mísseis norte-coreanos poderiam chegar à costa oeste dos EUA.

Segundo Morozov, seus interlocutores lhe disseram que Pyongyang tem a tecnologia que permitiria que os mísseis resistissem aos obstáculos atmosféricos. Ele teriam apresentado "cálculos matemáticos que provariam que o míssil é capaz de atingir a Costa Oeste dos EUA".

Já o presidente americano Donald Trump fez um comentário enigmático ao afirmar que está vivendo a "calma antes da tempestade", mas se recusou a explicar a que potencial crise fazia referência. Trump disse a frase durante uma sessão de fotos na Casa Branca, fazendo mistério.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.