Reino Unido

Conservadores à frente em pleito

Expectativa é que atual primeiro-ministro use essa vantagem para negociar a permanência dele no governo

00:00 · 08.05.2015
Image-0-Artigo-1849282-1
O premiê David Cameron prometeu que, se reeleito, promoverá um referendo para que os britânicos decidam se continuarão na União Europeia ( Foto: Reuters )

Londres. O resultado oficial seria conhecido só hoje, mas as pesquisas divulgadas na noite de ontem, após a eleição britânica, apontam o Partido Conservador em primeiro lugar e sem maioria para reeleger sozinho o premiê David Cameron.

A expectativa é que Cameron use a vantagem obtida nas urnas para declarar vitória e começar a negociar imediatamente uma aliança que garanta sua permanência em Downing Street (sede do governo), inibindo, ao mesmo tempo, uma reação dos adversários trabalhistas.

A falta de maioria para um único partido recebe o nome de “parlamento enforcado” entre os britânicos, situação ocorrida em 2010, quando os conservadores formaram coalizão com os liberais-democratas para eleger Cameron. O Liberal-Democrata, aliás, deve sofrer duro golpe nas urnas. Mesmo assim será procurado novamente para dar maioria ao Partido Conservador, com quem rompeu durante a campanha. Outra legenda que pode ajudar a selar a vitória de Cameron é o Ukip, de extrema-direita.

A campanha, uma das mais disputadas em décadas, foi marcada pelo debate em torno da rígida política de austeridade fiscal do governo conservador, da livre imigração dentro da União Europeia e seu impacto no Reino Unido e, por fim, da estagnação do sistema de saúde público britânico, o NHS.

Com a confirmação de que nenhum partido atingiu a maioria de 326 necessária para governar sozinho - o que é esperado para a tarde de hoje - aguarda-se um desfecho até o dia 18 de maio, quando o Parlamento eleito se reunirá pela primeira vez. 

Se isso não ocorrer, o limite passa a ser 27 de maio, data em que a rainha Elizabeth II faz seu tradicional discurso sobre o programa do novo governo.

Boca de urna

Pesquisa de boca de urna feita com 22 mil eleitores em 133 distritos e divulgada após a votação pelos canais BBC, ITV e Sky News indica que os conservadores teriam 316 cadeiras no Parlamento, apenas dez a menos do que a maioria necessária para reeleger Cameron.

A sondagem, feita pelo instituto Ipsos-Mori, põe o Partido Trabalhista, liderado por Ed Miliband, com 239 cadeiras, bem atrás do adversário. 

Referendo

A promessa de um referendo para decidir se o Reino Unido deve, ou não, permanecer na União Europeia, defendida pelo Partido Conservador do primeiro-ministro David Cameron, e pelo Partido Independente do Reino Unido (Ukip), preocupa eleitores britânicos. Durante a campanha, Cameron prometeu que, se reeleito, promoverá um referendo até 2017 para que os britânicos decidam se querem, ou não, continuar a fazer parte da União Europeia (UE).

Comentários


Li e aceito os termos de regulamento para moderação de comentários do site.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.