Da Espanha

Catalunha pode declarar independência no dia 9

Porém, um eventual anúncio separatista tende a "colocar lenha" na crise, alertam euro-deputados

O presidente da Catalunha, Carles Puigdemont, pediu mediação internacional para solucionar uma das piores crises da história espanhola ( Foto: AFP )
00:00 · 05.10.2017

Barcelona. Os partidos separatistas da Catalunha preparavam, ontem, os últimos passos para a declaração unilateral de independência, provocando chamados ao diálogo da Comissão Europeia e uma forte queda da Bolsa de Madri.

Na próxima segunda-feira, o presidente regional, Carles Puigdemont, deve comparecer perante o Parlamento catalão para avaliar os resultados do referendo proibido de 1º de outubro.

"Em função do desenvolvimento da reunião, poderia ocorrer a declaração de independência", explicou uma fonte do governo regional.

A escalada da crise entre Madri e Barcelona gera inquietação no continente e, pela primeira vez, a Eurocâmara debateu a respeito. "Chegou o momento de dialogar, de encontrar uma saída a esta situação, de trabalhar dentro da ordem constitucional da Espanha", disse o vice-presidente da Comissão Europeia, Frans Timmermans.

Mas os euro-deputados dos principais grupos também pediram às autoridades catalãs que evitem uma declaração de independência que, na opinião do porta-voz dos social-democratas Gianni Pittella, "colocaria mais lenha na fogueira".

As posições entre Barcelona e o governo central de Mariano Rajoy se distanciam cada dia mais depois da votação na Catalunha, marcada pela violência policial ao tentar impedi-la, e ninguém quer ceder.

Puigdemont pediu uma mediação internacional para solucionar uma das piores crises nas últimas décadas na Espanha.

Até agora, somente o presidente regional basco, o nacionalista Íñigo Urkullu, se ofereceu publicamente à Comissão Europeia para interceder entre ambas as partes, segundo um comunicado de seu partido PNV.

Turbulências econômicas

A inquietação tomou conta dos investidores e o índice principal da Bolsa de Madri, o Ibex-35, perdeu 2,85%, ontem.

Em particular, os dois grandes bancos catalães, CaixaBank e o Banco de Sabadell, sofreram com perdas de 4,96% e 5,69%, enquanto o Santander, primeiro banco espanhol, perdeu 3,83%.

A Catalunha, com uma forte indústria exportadora e turística, é a região mais rica da Espanha junto com Madri e contribui com 19% do PIB espanhol.

Um importante lobby econômico regional, o Círculo de Economia, mostrou, em nota, a "sua preocupação máxima" diante de uma declaração de independência e criticou "a violência inexplicável" de domingo.

O resultado da votação apontou que o "sim" ganhou com 90% com participação de 42,3% dos 5,3 milhões de eleitores.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.