Arma nuclear

Casa Branca eleva o tom contra o Irã

00:00 · 22.05.2018

Washington. Os EUA ameaçaram o Irã, ontem, com as "sanções mais fortes da história", se não cumprir condições draconianas para alcançar um "novo acordo", depois que Washington se retirou do pacto multilateral com Teerã. "Aplicaremos uma pressão financeira sem precedentes sobre o regime iraniano. Os líderes em Teerã não terão dúvida sobre nossa seriedade", disse o Secretário de Estado americano, Mike Pompeo, ao descrever a "nova estratégia" de Washington para contrariar o regime islâmico de Teerã, que classificou como o principal patrocinador mundial do terrorismo.

"Quem é você para decidir pelo Irã e pelo mundo?", reagiu o presidente iraniano Hassan Rohani. "O mundo de hoje não aceita que os EUA decidam pelo mundo. Os países têm sua independência", declarou.

Em seu 1º grande discurso sobre política externa desde que trocou a CIA pelo Departamento de Estado, Pompeo criticou o acordo de 2015, pensado para impedir que o Irã desenvolva uma arma nuclear, e prometeu "esmagar" os agentes iranianos e os representantes do movimento xiita Hezbollah. Pompeo disse que os EUA suspenderiam suas sanções, se o Irã pusesse fim a seu programa de mísseis balísticos e parasse de intervir em conflitos regionais, do Iêmen à Síria.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.