A Nicolás Maduro

Caracas processa 25 por 'atentado'

00:00 · 23.08.2018
Image-0-Artigo-2443637-1
Maduro se assustou com a explosão de drones durante um ato com a Guarda Nacional, no dia 4 de agosto ( FOTO: AFP )

Caracas/Yaguaraparo. O Ministério Público da Venezuela informou, ontem, que o número de pessoas processadas pela tentativa fracassada de atentado com drones explosivos contra o presidente Nicolás Maduro, no último dia 4, subiu para 25, e para 43 a quantidade de envolvidos no incidente, que deixou um total de sete feridos.

O caso resultou na prisão do deputado opositor Juan Requesens e em um pedido de extradição do legislador Julio Borges, que se encontra na Colômbia.

Foram emitidas 18 ordens de captura para pessoas -vários dos acusados estão na Colômbia, nos Estados Unidos e no Peru.

As autoridades venezuelanas solicitaram a extradição de nove pessoas - entre elas Borges - aos países mencionados e que espera que os mesmos colaborem.

No dia 4 de agosto, Maduro interrompeu um ato com a Guarda Nacional Bolivariana (GNB) depois que vários drones com cargas explosivas foram detonados nas proximidades do palanque presidencial, segundo explicou o governo, que denunciou o incidente como um atentado.

Três dias depois, o deputado Requesens foi detido. Além disso, sua imunidade parlamentar foi retirada através de um procedimento da Assembleia Nacional Constituinte - um órgão cuja legitimidade é questionada e que assumiu as funções legislativas do parlamento - e o mesmo foi feito com Borges.

Réplica de terremoto

Em meio ao caos político, econômico e social, um novo abalo sísmico foi registrado, ontem, no país, dessa vez de 5,7 graus. Esse é um tremor secundário ao terremoto de 7,3 que sacudiu a maior parte do país na terça-feira (22) sem deixar vítimas ou grandes danos, mas que foi sentido em vários países, incluindo o Brasil.

O novo tremor, às 9h27 (10h27 em Fortaleza), teve o epicentro 9 km ao noroeste de Yaguaraparo, no estado de Sucre (nordeste), o mesmo do terremoto da véspera, anunciou a Fundação Venezuelana de Pesquisas Sismológicas. A réplica, que aconteceu a uma profundidade de 22,9 km, não provocou cenas de pânico. Na terça, o terremoto aconteceu às 17h31 (18h31 em Fortaleza) e foi sentido com força em quase toda Venezuela.

Os terremotos mais intensos anteriores registrados aconteceram em 29 de julho de 1967, de 6,7 graus de magnitude em Caracas, com mais de 200 mortos, e em 9 de julho de 1997, de 7,0 graus em Cariaco (Sucre), que deixou 73 mortos.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.