Sob comoção

Brasileira morta na Nicarágua é sepultada

00:00 · 04.08.2018 / atualizado às 00:57
Image-0-Artigo-2435770-1
Raynéia Lima foi assassinada com um tiro quando voltava do hospital onde estudava e trabalhava ( FOTO: REPRODUÇÃO )

Paulista/Manágua. Em clima de emoção e revolta foi enterrada na sexta-feira (3), no Cemitério Morada da Paz, no município de Paulista, Região Metropolitana do Recife, a estudante de medicina Raynéia Gabrielle Lima, de 31 anos, assassinada a tiros na Nicarágua, em 23 de julho, quando estava a caminho de casa após cumprir plantão no hospital em que trabalhava.

Os pais de Raynéia, Maria José da Costa e Ridevaldo Pereira de Lima, foram amparados por amigos e parentes durante todo o velório. A cerimônia de sepultamento foi realizada pouco antes do meio-dia.

Abraçada ao diploma de médica e cirurgiã da filha, enviado pela Universidad Americana (UAM), Maria José anunciou que vai escrever uma biografia de Raynéia, como forma de homenagear a jovem.

"Minha filha saiu de Pernambuco, do Brasil, porque infelizmente não é fácil para alguém que vem de família pobre conseguir estudar medicina aqui. Esse era o grande sonho dela e ela foi atrás dele. Foram quase seis anos de muita luta e privações.Ela estudava com afinco, trabalhava duro e muitas vezes esquecia até de comer tamanha era a dedicação. Ela queria ser médica para ajudar as pessoas. Ela sentia muita falta da família, dos amigos da terra dela. Todos os dias ela dizia como estava ansiosa para voltar para nossa casa. Quero que as pessoas conheçam essa guerreira", afirmou.

Para custear o projeto, a dona de casa pretende iniciar uma campanha na internet para conseguir os recursos necessários, cerca de R$ 4 mil, para a impressão de 100 unidades. Antes mesmo das 7h, horário previsto para o início do velório, dezenas de pessoas chegaram ao cemitério carregando fotos, cartazes e muitas flores. Algumas vestiam blusas com fotos de Raynéia.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.