Suposto ataque químico

Bombardeios aéreos matam mais de 90 na Síria

Conselho de Segurança da ONU convocou reunião de emergência para discutir suspeita de crime de guerra

00:00 · 09.04.2018 / atualizado às 08:39
Image-0-Artigo-2385099-1
Ativistas da oposição e equipes de resgate no país alegam que gás foi usado contra população da cidade de Duma, atingindo crianças, inclusive ( Foto: AFP )

Duma/Moscou. A Força Aérea síria bombardeou, ontem, a cidade de Duma, último bastião rebelde em Ghuta Oriental, perto de Damasco.

Segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), mais de 90 civis morreram nas últimas 48 horas, em meio às denúncias dos Estados Unidos de que o regime realizou um ataque químico.

Segundo a agência estatal Sana, dois ônibus que transportavam rebeldes do grupo Yaish al-Islam e suas famílias deixaram Duma e se dirigiam a um território controlado pela oposição.

Moscou voltou a defender sua aliada, desmentindo que tenha havido uso de armas químicas em Duma, como denunciaram os socorristas, os rebeldes, a oposição síria no exílio e os EUA. A organização Syrian American Medical Society (Sams) divulgou um comunicado relatando que eram "mais de 500 casos, que apresentam sintomas de exposição a um agente químico".

Sem confirmação

O OSDH, que afirmou que "a aviação voltou a bombardear a área de Duma" após uma breve interrupção, indicou não poder confirmar um ataque químico.

A ONG relatou 70 casos de dificuldades respiratórias e de sufocamento relacionados ao fato de os civis estarem presos em subsolos, ou em habitações pouco ventiladas. Segundo o OSDH, 21 pessoas, entre elas nove crianças, morreram nestas condições.

"A Rússia, com seu apoio incondicional ao regime, tem um fundo de responsabilidade nesses ataques brutais", afirmou em um comunicado a porta-voz do Departamento de Estado americano, Heather Nauert.

"Negamos essa informação", informou o general Yuri Yevtushenko, chefe do Centro Russo para a Reconciliação das Parter na Guerra da Síria, em declaração às agências russas.

O suposto uso de armas químicas também foi denunciado pelo papa Francisco. "Chegam notícias terríveis da Síria, de bombardeios com dezenas de vítimas. E de tantas pessoas afetadas pelos efeitos de substâncias químicas que essas bombas continham".

ONU

O Conselho de Segurança da ONU vai se reunir nesta segunda-feira em encontro de emergência para discutir a suspeita de um ataque químico na cidade de Duma, na Síria.

A reunião foi convocada pelos governos dos Estados Unidos, Reino Unido, França, Polônia, Holanda, Suécia, Kuwait, Peru e Costa do Marfim.

As imagens divulgadas pelos Capacetes Brancos da Defesa Civil da Síria são fortes, pois mostram crianças deitadas no chão imóveis e espumando, em reação aos agentes químicos. Segundo ativistas da oposição síria, pelo menos 40 pessoas morreram.

 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.