Terrorismo

Ataque em cidade da Bélgica deixa três mortos

00:00 · 30.05.2018

Liège. Um homem radicalizado, cujo objetivo era atacar a Polícia, matou três pessoas, incluindo duas agentes policiais, ontem, em Liège, no leste da Bélgica, antes de ser morto a tiros pela Polícia, um ataque que se assemelha a um ato terrorista, de acordo com a Justiça belga.

Após o triplo homicídio cometido por um homem identificado pela imprensa belga como Benjamin Herman, nascido em 1982, fez refém uma funcionária de um centro escolar. Nenhuma criança foi ferida. O primeiro-ministro belga, Charles Michel, denunciou no Twitter uma "violência covarde e cega".

O caso foi confiado a um juiz de instrução antiterrorista porque "as evidências apontam para um ato terrorista", justificou Eric Van Der Sypt, porta-voz do Ministério Público federal.

O ataque a tiros ocorreu por volta das 10h30 (5h30 de Brasília) no Boulevard Avroy, uma das principais artérias da cidade.

O agressor, apontado pela imprensa como "Benjamin H.", um homem de 30 anos condenado por delitos de menor gravidade, primeiro atacou duas policiais com uma faca, antes de pegar suas armas para assassiná-las.

Essas duas mulheres, funcionárias da Polícia local, foram "agredidas pelas costas", recebendo "múltiplas facadas", indicou em entrevista coletiva o promotor de Liege, Philippe Dulieu.

Depois de roubar as armas das policiais, o agressor matou uma terceira pessoa, atirando contra um homem de 22 anos que estava no banco do passageiro em um carro estacionado. Em um segundo momento, após um curto sequestro e o triplo assassinato, uma nova troca de tiros ocorreu, e quatro outros policiais foram feridos nas pernas.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.