Crise econômica

Argentina busca socorro do FMI

Mauricio Macri, líder argentino, não revelou o valor do empréstimo que receberá para sair da crise ( Foto: AFP )
00:00 · 09.05.2018

Buenos Aires. A Argentina anunciou, ontem (8), que buscou ajuda financeira do Fundo Monetário Internacional (FMI) para enfrentar a grave turbulência de seus mercados, e a diretora do organismo, Christine Lagarde, afirmou que as negociações terão início "em breve".

"De forma preventiva, decidi iniciar diálogos com o FMI para que nos conceda uma linha de apoio financeiro", anunciou o presidente Mauricio Macri em um pronunciamento televisionado, após o peso cair ontem mais de 4% em relação ao dólar na abertura dos mercados.

No último mês, a depreciação do peso foi de mais de 10%.

"Estamos recorrendo ao único caminho possível para sair da estagnação, buscando evitar uma grande crise econômica que nos faria retroceder e prejudicaria a todos", acrescentou.

"Foram iniciadas discussões sobre como podemos trabalhar juntos para fortalecer a economia argentina e levaremos esses diálogos a cabo em breve", informou Lagarde em uma nota oficial, sem mencionar os eventuais valores do aporte financeiro. A Argentina "é um membro valioso" do FMI, definiu.

Macri e seu ministro de Economia, Nicolás Dujovne, não especificaram qual será o montante do crédito solicitado pela Argentina, terceira maior economia da América Latina. "Não podemos ainda anunciar os montantes, mas concordamos que o FMI vai prestar apoio financeiro à Argentina", indicou Dujovne.

Em janeiro de 2006, a Argentina tinha saldado seu último crédito com o FMI. A Argentina sofreu, em 2001, uma crise econômica que provocou a queda de quatro presidentes em uma semana e levou o país à moratória.

A valorização do dólar nos últimos dias afetou o peso argentino mais que a outras moedas. A moeda argentina fechou, ontem, a 23,06 pesos por dólar. Para enfrentar a desvalorização do peso, o Banco Central decidiu elevar a taxa básica de juros a 40% ao ano, a mais alta do mundo, o que pode afetar o crescimento do país.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.