21 mil pessoas fogem de vulcão - Internacional - Diario do Nordeste

MONTE SINABUNG

21 mil pessoas fogem de vulcão

31.08.2010

Região da Indonésia ficou no nível mais alto de alerta e alguns voos domésticos tiveram de ser desviados

Karo, Indonésia. Vinte e uma mil pessoas foram transferidas para abrigos de emergência, ontem, depois que o vulcão Monte Sinabung, que estava dormente havia mais de 400 anos, entrou em erupção pelo segundo dia consecutivo, expelindo nuvens de cinzas quentes a mais de 1.500 metros de altura.

A erupção colocou a região no nível mais alto de alerta e alguns voos domésticos tiveram de ser desviados por causa da baixa visibilidade.

Muitos moradores das férteis encostas do Mounte Sinabung, na província de Sumatra do Norte, usaram máscaras enquanto empacotavam seus pertences e começaram a descer a montanha de 2.400 metros.

A explosão do último domingo foi seguida por uma mais forte ontem. As casas e plantações abandonadas ficaram cobertas por um pó cinza e o ar estava pesado com o cheiro de enxofre.

"O vulcão registrou uma nova erupção às 6h30 locais (20h30 de domingo, horário de Brasília), que durou mais ou menos 15 minutos. A fumaça e as cinzas subiram até pelo menos 2.000 metros", indicou o vulcanólogo Agus Budianto. Esta erupção foi a mais intensa que a da véspera. Imagens da TV mostram uma espessa coluna de fumaça negra elevando-se para o céu e lava saindo da cratera. O alerta vermelho entrou em vigor na manhã de ontem, quando o vulcão entrou em erupção pela primeira vez em 400 anos, projetando uma nuvem de fumaça e de cinzas a 1.500 metros de altura.

O vulcão havia expelido fumaça durante todo o dia no último sábado, mas os níveis de alerta não haviam sido elevados, e a imprensa local afirmou que os moradores da região foram surpreendidos com a erupção. O diário local The Medan Tribune citou a declaração de um morador que contou ter entrado em pânico e saído correndo ao ver a lava correndo em sua direção "como se fosse uma bola de fogo".

Duas pessoas morreram - uma mulher de 64 anos que tinha problemas respiratórios e um homem de 52 anos, que sofreu um ataque cardíaco - mas ainda é muito cedo para saber se o vulcão relação com as mortes, disse Priyadi Kardono, da Agência Nacional de Gestão de Desastres.

"Anel de fogo"

O Monte Sinabung, localizado a cerca de 60 quilômetros de Medan, a principal cidade da ilha de Sumatra, havia entrado em erupção pela última vez em 1600, portanto os estudiosos não conhecem seu padrão de erupção e admitiram no final de semana que não o estavam monitorando de perto até que o vulcão começasse a dar sinais de vida alguns dias atrás.

"O posto de monitoração mais próximo do Sinabung é o Monte Merapi, cerca de 400 quilômetros ao sudeste, então estávamos completamente no escuro. Não sabíamos de nada até que ele começou a dar sinais de vida", disse o vulcanologista Imam Simulingga, que trabalha numa agência estatal.

Ele lembrou que há 129 vulcões ativos na Indonésia, país composto por 17.500 ilhas e que tende a sofrer erupções e terremotos por estar localizado sobre chamado "Anel de Fogo", uma série de falhas geológicas que se estende do hemisfério oeste e passa pelo Japão e pelo sudeste da Ásia. "Vamos observá-lo de perto", disse Surono, outro vulcanologista, lembrando que como o padrão de erupção não foi observado, "não sabemos o que esperar".

Perigo desconhecido

400 anos foi o período que o vulcão permaneceu inativo. Por isso, os cientistas não conhecem o seu padrão de erupção e só passaram a monitorá-lo depois que ele voltou à atividade

1.500 metros foi a altura que nuvens de cinzas quentes foram expelidas. Alguns moradores tiveram de usar máscaras enquanto deixavam a montanha de 2.400 metros

Comente essa matéria


Editora Verdes Mares Ltda.

Praça da Imprensa, S/N. Bairro: Dionísio Torres

Fone: (85) 3266.9999