Especial publicitário

Vida de doula

Apoio ao parto

04:00 · 02.11.2017
Além do médico e de um (a) enfermeiro (a), a mulher que vai dar à luz também pode procurar uma doula, profissional treinada para acompanhamento do parto, explica a doula Vivian Martins. “Quando se fala em doula, a imagem  que se apresenta é a da acompanhante no momento do trabalho de parto e no parto. Mas trabalhamos bastante o antes, para tentar levar uma condução mais leve do trabalho de parto”, acrescenta a doula Melissa Maciel.
Esse "antes" ocorre em palestras e rodas de conversa, com depoimentos de mães que já passaram pelo parto normal e humanizado (aquele que respeita a vontade da gestante
e evita intervenções médicas desnecessárias) e esclarecimentos sobre o tema. Durante o parto, a gestante é  acompanhada em práticas de alívio da dor e exercícios próprios para o trabalho de parto.
No pós-parto, a doula auxilia na amamentação, nos cuidados com o bebê e, assim como em todos os outros momentos, no apoio emocional. A presença da doula não dispensa
a participação de um responsável técnico pelo parto, seja um médico ou enfermeiro. “A importância da doula reside no fato de que ela é o único profissional no contexto do parto que fornece acompanhamento contínuo, individualizado e totalmente voltado ao bem-estar da mulher”, afirma a doula Geísa Santana.
 
FORMAÇÃO
Todas as pessoas interessadas na área e que tenham mais de 18 anos – independente de serem ou não da área da saúde – podem buscar um curso de formação e se tornarem
doulas. Não é preciso ter Ensino Superior. 
A formação, explica Melissa, se dá por meio de cursos que devem ter carga-horária e certificação adequada, geralmente de pelo menos 40h. Uma vez feita a capacitação, a doula já pode começar a atuar. Participar de Organizações Não Governamentais (ONG), fazer doulagem voluntária e doulagem em dupla são alternativas para iniciar na carreira e
ganhar experiência.
A doula e fotógrafa Marisa Nogueira diz que as profissionais de doulagem podem agregar valor aos seus serviços especializando-se em mais cursos. “Tem doulas que são
massoterapeutas, outras são fisioterapeutas, ou trabalham com aromaterapia. Eu fiz curso de cuidados com o bebê, de amamentação, e também faço fotografia do parto”, pontua
Marisa. Ela vê um futuro muito bom de doulas em Fortaleza e diz que o Ceará, de uma forma geral, está à frente de vários Estados nesse ramo.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.