ESPECIAL PUBLICITÁRIO

Verde em todo canto

Apartamentos também podem receber o aconchego e a beleza dos jardins. Confira as dicas de especialistas e dê um up no seu lar

04:30 · 23.03.2018

Foi-se o tempo em que só se podia cultivar plantas em casas ou áreas abertas. O paisagismo também está presente nos apartamentos, tendo aumentado nos últimos anos em Fortaleza, afirma Itamar Frota, engenheiro agrônomo especialista em Arquitetura de Interiores e Paisagismo, mestre em Agronomia, Doutor em Biotecnologia e Docente do Centro Universitário Estácio do Ceará. Ele diz que os clientes querem desde projetos mais sofisticados, como jardins verticais, até hortaliças, ervas aromáticas, terrários (minissuculentas) e frutíferas em vasos.

O arquiteto e paisagista Ney Filho ressalta os pontos positivos desse tipo de decoração. “Toda casa fica mais feliz com a presença de plantas. Evite plantas artificiais. Se não cabe planta de plástico é porque não cabe planta nenhuma. Procure, portanto, outro adorno para decorar, uma obra de arte, um quadro”, orienta.

O especialista ressalta que é preciso observar as condições climáticas onde a planta será colocada e fatores como a funcionalidade do ambiente. Se houver crianças pequenas no apartamento, o cuidado é maior. “Nesse caso, evite plantas com espinhos, pois as crianças vão se machucar. Se é um local de circulação, em que o corpo passa batendo nas folhas, melhor não escolher uma planta frágil, porque não vai durar”, recomenda.

CUIDAR BEM
Para ter uma plantinha saudável por muito tempo, Ney Filho recomenda observar seu comportamento. Verifique a quantidade de Sol que ela recebe diariamente, a corrente de vento onde ela está instalada, se está sendo bem aguada ou não, entre outros cuidados. “É uma relação muito íntima que você vai ter com a planta. Não tem regra, é observar. Não tem como dizer: um jarro de 1kg precisa de 200ml de água. Não é assim”, garante.

O arquiteto indica ver se a folha fica muito amarelada, seca e dura. Se sim, a planta está precisando de água. Se é uma planta de flor e não está florando, ela está recebendo água demais. Se você põe água e ela sai pelo fundo do vaso, também está aguando em demasia. Tem que observar o solo: se estiver brejado, significa que você está aguando demais. E seguir com a observação.

VERSATILIDADE
Conforme Itamar Frota, as plantas ornamentais podem despertar sensações agradáveis por meio das cores, texturas e aromas diversos, além de proporcionar a purificação do ar. A utilização delas deve ser vista não apenas como uma questão estética, mas de melhoria na qualidade de vida das pessoas, acrescenta o engenheiro agrônomo.

Outro benefício de ter plantas no lar é “tirar o alvo central de você, sair do próprio ego e passar a cuidar de um outro ser. A planta faz a gente cuidar do outro, cultivar a coletividade”, descreve Ney Filho. Para ele, até a energia da casa e das pessoas influencia nas plantas. “As pessoas têm que exercer a sua positividade, desejar o bem, ser uma pessoa boa. Isso gera energia positiva, e planta gosta de energia positiva. Na casa de pessoas que têm a energia ruim, as plantas morrem, não duram”, arremata
o profissional.

ESCOLHA CERTO
Em locais que têm alguma incidência solar, porém muito vento (varandas, por exemplo), dê preferência a espécies como: Yucca mansa (Yucca filamentosa), Clúsia (Clusia fluminensis), Espadas e Lanças de São Jorge (Sansevieria trifasciata e Sansevieria cylindrica), cujas folhas são mais resistentes;

Em cômodos que recebem Sol de manhã e/ou muita claridade, utilize plantas envasadas, como: Palmeira ráfia (Raphis excelsa), Palmeira Licuala (Licuala grandis), Pacová (Philodendrum martianum) e Zâmia (Zamioculcas zamiifolia);

Em locais sem luz solar direta na planta, algumas espécies indicadas são: Lírios da paz (Spathiphyllum wallisi), Calatheas sp. (várias espécies com cores diversas), Clorofitos (Clorophytum comosum), Bromélia Neoregélia (Neoregelia carolinae) e samambaias diversas;

Fonte: Itamar Frota, especialista em Arquitetura de Interiores e Paisagismo, mestre em Agronomia, doutor em Biotecnologia e docente do Centro Universitário Estácio do Ceará 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.