ESPECIAL PUBLICITÁRIO

Requinte e qualidade

Imóveis de alto e altíssimo padrão reúnem itens que ampliam seu valor agregado. Compra discreta e criteriosa é uma das características desse aquecido mercado.

04:30 · 29.09.2017

Formado por imóveis com preço a partir de R$ 700 mil, o mercado de luxo de Fortaleza e Região Metropolitana foi responsável por bons resultados das vendas no setor imobiliário local em agosto, segundo pesquisa da Lopes Immobilis. “O mercado de luxo hoje está sensacional e muito aquecido”, garante Ricardo Bezerra, sócio-proprietário da imobiliária autora do estudo.

Para Sérgio Macêdo, Diretor da Base Engenharia, esse mercado foi bastante afetado pela situação econômica desafiadora do País nos últimos anos, pois os clientes ficaram com receio de investir. “Porém, já percebemos uma grande mudança de julho até agora. A procura está bem maior e as vendas estão sendo efetivadas”, afirma Macêdo.

O imóvel segue como investimento seguro, uma vez que, historicamente, é imune a quebras de bancos e não pode ser congelado pelo governo, tal como a poupança, esclarece Vitor Frota, Presidente da Dasart Incorporações e Simpex Incorporações. Ele acrescenta que o potencial de valorização seguiu crescendo, e diversas áreas da cidade tiveram curvas acentuadas de valorização, não se atendo apenas aos bairros mais tradicionais.

“A característica de que o imóvel gera uma renda passiva também é um fato consolidado, configurando o imóvel próprio como um objetivo de grande parte da população, principalmente para um público com perfil mais investidor. Esse público utiliza o imóvel para diversificar seu portfólio de investimentos e reduzir riscos. Mesmo quem investe na Bolsa de Valores, possui parte do dinheiro aplicado em imóveis”, revela Frota.

PÚBLICO

O mercado de imóveis de luxo da capital cearense e da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) é composto por clientes criteriosos, que comparam as opções do mercado e cada detalhe dos diferentes produtos, descreve Sérgio Macêdo. São profissionais com carreiras sólidas, médicos, advogados, empresários, investidores, classes emergentes e herdeiros.

Em geral, há três características que conectam esses perfis: são formadores de opinião, vencedores e apreciadores, ou seja, aplicam seu conhecimento para consumir produtos específicos e tendem a analisar minunciosamente uma compra.
Vitor Frota, Presidente da Dasart/Simpex, conta que esses consumidores prezam por uma negociação sigilosa e um atendimento exclusivo. “Por possuir nível crítico elevado, eles têm um olhar particular para qualidade e acabamento, além de lerem melhor atributos como valor agregado, comodidade e conceitos que considerem superiores”, pontua.

Ricardo Bezerra comenta que o público do alto padrão requer um corretor com uma especialização melhor, realmente capacitado para atendê-lo. O comportamento desse consumidor é analisar as especificações técnicas, os detalhes, configurando-se em uma venda mais demorada.

REGIÕES EM ALTA

Segundo dados do Sindicato das Construtoras do Ceará (Sinduscon-CE), nos últimos 12 meses (julho/2016 a agosto/2017), os empreendimentos de alto padrão, luxo e superluxo entregues na Região Metropolitana de Fortaleza foram nos bairros fortalezenses Aldeota, Cocó, Edson Queiroz, Engenheiro Luciano Cavalcante, Fátima, Guararapes, Meireles, Papicu e São Gerardo e, em Caucaia, no Cumbuco.

As regiões que tiveram lançamentos de alto padrão nos últimos 12 meses foram os bairros fortalezenses Cidade dos Funcionários, Fátima e Meireles. Já os imóveis luxo e superluxo/altíssimo padrão foram lançados nos bairros Aldeota e Meireles.

DIFERENÇAS

O Sindicato das Construtoras do Ceará (Sinduscon-CE) faz a seguinte categorização quanto às unidades residenciais de luxo do mercado imobiliário da Região Metropolitana de Fortaleza: os imóveis de alto padrão têm valor de R$ 700 mil a R$ 999 mil; já os imóveis de luxo, vão de R$ 1 milhão a R$ 2 milhões; os da categoria super luxo, estão acima de R$ 2 milhões.

A Lopes Immobilis considera o alto padrão acima de R$ 1 milhão e de altíssimo padrão acima de R$ 2 milhões. “Isso não é uma regra, é costume de mercado. Normalmente, o que define um imóvel de luxo é a sua área. Imóveis acima de 200m² já custam mais de R$ 1 milhão. O grande diferencial dos apartamentos de luxo é o que eles trazem agregado”, observa Ricardo Bezerra. 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.