ESPECIAL PUBLICITÁRIO

Construir em contêiner

Utilizado como parte de uma edificação, o contêiner tem ganhado espaço no cenário local e tem todos os ingredientes para expandir seus usos e se tornar mais uma alternativa à moradia

04:30 · 12.01.2018

Já faz alguns anos que os contêineres foram adotados na construção civil seja como elemento estrutural ou decorativo. Atualmente, o Ceará tem lojas que fabricam, customizam, alugam e vendem esse equipamento até para outros estados. O uso do contêiner cresceu, incrementando sua gama de aplicações. Ricard Pereira, um dos pioneiros na comercialização desse produto no Estado, diz que o carro-chefe de sua empresa, a Locsul, é o aluguel de contêiner.

A Locsul compra contêineres marítimos e os adapta à realidade dos clientes, mas também fabrica e customiza os equipamentos. “Já fizemos para lojas, moradia, consultório veterinário, estábulo para animais, restaurante, lanchonete. Agora mesmo estamos fazendo três para uma rede de pastelaria daqui”, revela Ricard Pereira. Um de seus clientes foi Alesson Matos, sócio-proprietário da Orquestra Arquitetos. Na ocasião, o arquiteto projetou um contêiner para ser a cozinha industrial de um restaurante. Dessa forma, o item funciona tanto como peça decorativa como parte estrutural do estabelecimento, sendo protagonista do ambiente.

Outros exemplos de aplicação do contêiner estiveram na última edição da Casa Cor Ceará, no fim de 2017. A mostra de decoração, arquitetura e paisagismo exibiu três ambientes projetados nesse material: o Parquinho do Cocó (por Danielle Araripe e Lucimary Holanda), a Loja Brasil Original (por Laura Rios e Liana Fiengold) e o Loft do Jovem Aventureiro (por Diego Studart).

Vantagens
Para o arquiteto Diego Studart, a construção em contêiner é muito mais rápida e limpa, já que se trata de material pré-fabricado. “Toda a parte da estrutura já é o próprio contêiner. É uma construção sustentável, na qual não precisamos fazer nenhuma preparação no terreno, além de um nivelamento”, pontua. Tiago Fiúza, sócio-diretor da Loctainer, destaca ainda o reaproveitamento de algo que iria para o lixo e a facilidade no transporte do produto. “No caso de uma loja, se não der certo num ponto, tiro e levo para outro lugar com tudo que tem lá dentro. Pode acontecer a mesma coisa com a casa. Vendi meu terreno, me mudo e levo a casa para onde quiser”, sinaliza.

Outros pontos fortes do contêiner são a versatilidade e a praticidade. “Versatilidade de utilização, utilizá-lo de forma itinerante, como peça decorativa ou estrutural, com aplicação funcional; como stand de vendas, como sala técnica dentro de construção, onde os técnicos ficam exatamente porque ele é muito resistente e pela facilidade de transporte; tem de vários tamanhos. É um material muito prático”, afirma o arquiteto Alesson Matos.

Tiago Fiúza diz que, na Loctainer, os mais alugados são os contêineres para servir de banheiro, escritório, almoxarifado e stand de vendas. O preço mensal dos três primeiros custa em média 650 reais. Já o valor mensal do stand de vendas, que tem acabamento mais refinado, é na faixa de 800 reais. Ricard Pereira, proprietário da Locsul, explica que a habitação provisória realizada por meio dos contêineres é muito útil à construção civil pois a construtora não precisa demolir as construções de alvenaria erguidas no canteiro de obra (refeitório, sala técnica, banheiros etc.) e ainda pode transportá-las para outras obras ou, em caso de locação, não renovar o aluguel.

Ele comenta que, no ramo comercial, o contêiner traz um apelo visual diferenciado. “Funciona como um cartão de visita. ‘Ah, aquela loja contêiner’, os clientes dizem, porque é algo que fica na memória das pessoas”. Ricard Pereira vê, portanto, inúmeras vantagens para se utilizar esse material nos mais diversos segmentos. Sem falar no custo-benefício, que tende a ser melhor do que nos modelos construtivos tradicionais.

Alternativa
Diante de tantos benefícios, o arquiteto Alesson Matos acredita que o contêiner pode se tornar uma alternativa de habitação acessível. “Ele pode ser usado na forma que ele vem, com fins de armazenagem e transporte. Mas ele é uma estrutura, tem piso, parede, teto, é modulado, pré-fabricado. Então tem todos os ingredientes para a modulação de moradias de baixo custo, de moradias de áreas de risco, de acampamentos provisórios para regiões onde houve catástrofe natural. A catástrofe em Mariana, por exemplo, teve projetos de arquitetura que fizeram moradia provisória utilizando contêiner”, relata o gestor da Orquestra Arquitetos.

Ele conta que, a depender da customização, o equipamento pode receber alto nível de design e se tornar um local incrível de se viver. O que é importante é considerar as características do lugar onde o contêiner servirá de residência. Em se tratando do Ceará, devido à temperatura, deve haver refrigeração interna, isolamento térmico e outros fatores que contribuam para que a estrutura se torne uma moradia de boa qualidade. O profissional Diego Studart concorda que o contêiner pode ser uma alternativa acessível de habitação, ressaltando que a construção nesse equipamento é muito mais rápida do que na construção tradicional.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.