ESPECIAL PUBLICITÁRIO

Construção sustentável

Arquiteto Bernardo Andrade desenvolve uma casa Protótipo de Autoconstrução Sustentável (PAS) em Aquiraz, com conclusão prevista para o fim de 2018

A ideia da bioconstrução, da qual a residência em Aquiraz é um grande modelo, é que a construção seja voltada à interação com a natureza.
04:30 · 10.08.2018

O município de Aquiraz, na Região Metropolitana de Fortaleza, é sede de uma casa Protótipo de Autoconstrução Sustentável (PAS) que objetiva ser a mais sustentável do Brasil. À frente da empreitada está o arquiteto cearense Bernardo Andrade, cujo trabalho tem foco em arquitetura bioclimática, bioconstrução e permacultura. O grande trunfo da casa PAS é que ela pretende levar ao extremo as ideias de sustentabilidade, tendo autonomia em termos de água, energia (com painéis fotovoltaicos e aerogeradores) e saneamento.

“Será uma residência compacta (63 m²) capaz de sustentar de uma a duas pessoas com água da chuva (que será reutilizada quatro vezes), usar energia solar e eólica, produzir parte dos alimentos para seus habitantes e tratar seu esgoto”, afirma o coordenador do projeto. Dentre os alimentos e insumos naturais, vão ser produzidos no terreno da casa plantas medicinais, legumes, verduras e frutas, como acerola, banana e sapoti.

A ideia da bioconstrução, da qual a residência em Aquiraz é um grande modelo, é que a construção seja voltada à interação com a natureza, explica Bernardo Andrade. Por isso, a residência está sendo construída com materiais naturais e de fácil disponibilidade, reciclados e reutilizados, como garrafas de vidro, pneus, plástico e alumínio de embalagens, papelão, latinhas e telhas de Tetra Pak recicladas. Também faz parte do projeto o uso de terra, madeira, retalhos de tecidos e outros materiais naturais.

RESISTÊNCIA
Alguns desses itens, como o plástico e o pneu, têm tempo de decomposição que varia de 500 anos a tempo indefinido, segundo os especialistas. Isso por si só torna a habitação bastante resistente e durável, comenta o arquiteto. Por outro lado, alguns materiais precisam de maior cuidado e manutenção, “mas nada que impeça a construção de durar 100 ou 200 anos. Existem edificações feitas com terra com centenas de anos na Europa, no Mediterrâneo, na América Central e até mesmo na América do Sul. São construções do período da colonização, ainda erguidas com pau a pique ou tijolo de adobe”,
relata Bernardo.

Outras estratégias empregadas na casa PAS vêm da arquitetura bioclimática, que aproveita os fenômenos naturais para melhorar o conforto térmico, a iluminação natural e o desempenho geral da edificação. Para otimizar o conforto térmico, grande parte das fachadas e todas as principais aberturas estão sombreadas com um beiral generoso. Nas fachadas de maior insolação, foram usadas paredes de pneus com grande massa térmica para regular a temperatura interna.

TÉCNICAS
Para construir a casa e divulgar as técnicas e materiais, têm sido realizados mutirões e workshops com profissionais, professores e estudantes dos cursos de Arquitetura, Engenharia Civil e Ambiental de várias universidades cearenses, em especial da Universidade de Fortaleza (Unifor). Nesta, foi criado um grupo de pesquisa para realizar alguns testes relacionados às técnicas e aos materiais utilizados na casa PAS.

Após ser concluída, o que deve acontecer ainda este ano, a residência será ocupada por uma família que se comprometerá a receber visitantes por dois anos para apresentar as técnicas e os materiais utilizados. Bernardo Andrade pontua que o público poderá visitar a casa nos fins de semana. Ele acrescenta que como as técnicas utilizadas são de fácil aplicação e os materiais são encontrados na natureza ou de baixo custo, esse tipo de residência pode ser construído em comunidades populares com a orientação de um profissional qualificado. “Acreditamos que nós não somos donos, mas mordomos do mundo. Deus nos confiou esse planeta e essa natureza para cuidarmos e passarmos para as próximas gerações”, opina o arquiteto.

Realidade local

A casa PAS foi projetada a partir de uma extensa pesquisa e principalmente com base nos princípios adotados pelo arquiteto norte-americano Michael Reynolds, que criou os ‘Earthships’, isto é, casas autônomas com sistemas centralizados. Após um estágio do arquiteto cearense Bernardo Andrade na empresa de Michael Reynolds, os princípios estão sendo adotados e adaptados à realidade do Ceará. Segundo o coordenador do projeto da casa PAS, a vantagem de usar o modelo de edificação de Michael Reynolds é que ele é o mais autônomo possível.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.