ESPECIAL PUBLICITÁRIO

Aplicativo inovador

Com Relatório Diário de Obra (RDO) em versão digital, o RDO App cumpre regulamentação do Confea e traz inovação à Construção Civil

12:02 · 29.12.2017

Criado pelo engenheiro civil e administrador de empresas Lucio Felix Neto, o RDO App se propõe a ser uma ferramenta 100% digital de fácil registro de tarefas planejadas e executadas, com assinaturas eletrônicas de quem executou a tarefa (Contratada) e de quem pagou pela execução da mesma (Contratante). Inovar no setor da Construção Civil é o foco do projeto RDO App, que já tem MVP (confira quadro abaixo/ao lado) em fase de testes e deve ter as versões gratuita e básica disponíveis em janeiro de 2018.

Segundo o idealizador, este é o primeiro aplicativo do mercado que atende à Resolução Confea 1024/2009, que “dispõe sobre a obrigatoriedade de adoção do Livro de Ordem de obras e serviços de Engenharia, Arquitetura, Agronomia, Geografia, Geologia, Meteorologia e demais profissões vinculadas ao Sistema Confea/Crea” (sistema composto pelo Conselho Federal e pelos Conselhos Regionais de Engenharia, Arquitetura e Agronomia). Além disso, o mecanismo também atua como ferramenta de gestão, pois permite o planejamento das tarefas a serem executadas e a geração de índices de produtividade.

O caderno Imóveis conversou com Lucio Felix Neto sobre a versão digital do Relatório Diário de Obra, também conhecido como Diário de Obra ou Livro de Ordem, e traz as novidades nesta entrevista exclusiva.

Caderno Imóveis: De onde veio a ideia de criar o RDO App?
Lucio Felix Neto: A ideia veio quando iniciei meu primeiro estágio como engenheiro civil e achei estranho ter que preencher o Relatório Diário de Obra (RDO) todo dia e, ao final da semana e do mês, ter que buscar informações no RDO para preencher outros relatórios. Além de responder algumas questões importantes do escritório por e-mail e por telefone, sempre tendo que acessar os RDO para responder. Comecei a procurar por RDO eletrônico e não achava. Só em Excel, que é uma planilha eletrônica. Mas eu buscava um banco de dados. Em abril de 2016, iniciamos o desenvolvimento do projeto RDO App na incubadora do Centro Universitário Senai Cimatec. Conseguimos apoio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e de Investidores-Anjo e agora, em dezembro de 2017, estamos recebendo o MVP (confira quadro abaixo/ao lado), que deve ir ao mercado em 2018 por meio de dois planos: gratuito e básico.

Por que a ferramenta é uma solução inovadora?
Por três razões principais. Tem o Card de Tarefas, uma ideia que vem do Trello para facilitar a entrada e a gestão de dados relacionados com a tarefa ou o serviço. Esta tarefa, normalmente, é o tópico que vem do contrato de prestação de serviço entre Contratante e Contratada. Possui a assinatura eletrônica entre Contratante e Contratada: vamos oferecer perfis de acesso para cada um, e um deles tem o “poder”’ de assinar e enviar o RDO para o outro. E o Dashboard: com base nos dados (descrição da tarefa, colaboradores, equipamentos, datas etc) dos Card de Tarefas e nas mudanças de status que são permitidas, podemos gerar relatórios gráficos. Neste MVP, vamos oferecer dois! Além disso, vamos inovar também na própria geração do RDO, pois vamos permitir que essa geração seja simples e rápida.

Como será o acesso pelas partes Contratante e Contratada?
Teremos uma loja e-commerce que oferecerá uma versão gratuita e outra básica que vai custar R$ 89,90 por obra e por mês. Nas duas versões, vamos oferecer perfis de acesso diferentes para Contratada e Contratante. Quem comprar (Contratada ou Contratante) convida o outro por e-mail (Contratante e Contratada, respectivamente).

Que funções estarão disponíveis para cada uma das partes?
O processo, nas versões gratuita e básica, inicia pela Contratada preenchendo o planejamento por meio dos cards de tarefas. Quando a obra inicia, a Contratada vai informando quais tarefas estão em execução. Ao final do dia, ela gera e assina o RDO que vai para a Contratante informando as tarefas em execução, entre outras informações obrigatórias no relatório. A Contratante, então, comenta e assina (versão básica) quando o RDO volta para a Contratada. Além da assinatura da Contratante, o dashboard também só vai estar disponível a partir da versão básica. A versão gratuita vai poder gerar o RDO e imprimir como se faz atualmente, mas de modo mais conveniente e ágil.

Em termos de custos e produtividade, o que representa para as empresas do setor o uso desta tecnologia?
Estimamos, em torno de duas horas por di,a o gasto do estagiário em todas as fases do RDO: levantamento de informações, preenchimento no computador, impressão, busca por assinaturas e arquivamento. Depende do tipo e do tamanho da obra.

E qual a vantagem para os clientes das empresas?
Desempenho (menos tempo gasto), conveniência (acesso por computador, celular e tablet) e melhor gestão de informações básicas de uma obra. O RDO, atualmente, é uma ferramenta jurídica e faz com que contratadas e contratantes tenham que, após o fim da obra, guardar o RDO por cinco anos em papel. Perde-se toda a informação que está registrada ali e que tem valor, pois são informações geradas muito perto do momento do fato. Queremos aproveitar essas informações para gerar outputs do tipo big data.

O app tem versão mobile e para desktop?
Sim. Nosso MVP ainda não é um aplicativo. Vamos oferecer nossa plataforma em nuvem e responsiva em tablets e celulares. Com o desenvolvimento das vendas, vamos oferecer o aplicativo para poder trabalhar offline. Ele está disponível para todo Brasil e em outros países da língua portuguesa. Vamos divulgar em Portugal também. Queremos traduzir para o inglês o mais breve possível. Mais informações: www.rdoapp.com.br

O que é MVP

MVP é a sigla de Minimum Viable Product e significa produto mínimo viável. É uma prática de administração de empresas que consiste em lançar um novo produto ou serviço com o menor investimento possível para testar o negócio antes de aportar grandes investimentos. Um MVP é uma versão mínima do produto, apenas com as funcionalidades necessárias para que ele cumpra a função para a qual foi planejado. A partir do MVP testa-se a eficiência do produto, sua usabilidade, sua aceitação no mercado, comparação com a concorrência entre outras formas de validar.

Fonte: https://www.significados.com.br/mvp/ 

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.