Nova seleção

Edital do concurso público da Polícia Rodoviária Federal deve ser publicado em setembro

Para o cargo de policial rodoviário, serão disponibilizadas 500 vagas

19:07 · 28.08.2018 / atualizado às 19:15 por Jornal dos Concursos
PRF
O órgão ainda completa, informando que “serão realizadas atividades de educação para o trânsito e de combate ao crime”. ( Foto: Arquivo )

O novo superintendente da Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Pernambuco, Alexandre Rodrigues da Silva, confirmou, na última segunda-feira (27), que o edital do novo concurso público do órgão deverá mesmo ser publicado em setembro. O anúncio foi feito durante a cerimônia de posse no cargo.

Inicialmente prevista para ocorrer em agosto, a liberação do edital depende apenas da confirmação do nome da banca organizadora. A expectativa é de que isto ocorra a qualquer momento, com o objetivo de liberar o edital ainda no início do próximo mês.

O diretor geral da PRF, Renato Dias, recebeu maior competência sobre os procedimentos para a realização do concurso desde o dia 14, por parte do ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann

Novos servidores

Deverão ser preenchidas 500 vagas para o cargo de policial rodoviário. A autorização do concurso, publicada em 27 de julho, determina um prazo de até seis meses para a publicação do edital, ou seja, até 27 de janeiro. O órgão não deve, porém, aguardar este limite para iniciar o certame, tendo em vista que a intenção inicial do ministro da segurança era publicar o edital em junho. Isso não foi possível em decorrência do impasse pelo aumento da oferta, que acabou atrasando a autorização do MPDG. 

Ainda assim, o quantitativo não deve suprir as necessidades do órgão. De cordo com Renato Dias, a PRF precisa de 3.000 novos servidores, que podem ser convocados pelo aproveitamento de remanescentes do novo certame, independente da oferta imediata de 500 vagas. O motivo é que, somente em 2018, aproximadamente 2.000 servidores deverão se aposentar.

A liberação para o novo concurso da PRF está relacionada ao principal objetivo do novo ministério, criado por medida provisória em 27 de fevereiro. No entendimento do Governo, a pasta será responsável por coordenar e promover o combate à criminalidade em parceria com os Estados.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.