Coluna

Dicas de Concursos: interrogação elaborativa como técnica de estudo

Dicas de Concursos

empregos@diariodonordeste.com.br

00:00 · 19.05.2018

Uma das melhores técnicas para quem precisa estudar de forma mais eficiente para o concurso público é a interrogação elaborativa, que é também um recurso que exige prática e vai melhorando com o tempo. Trata-se de utilizar os "porquês" para fazer conexões enquanto estuda, reforça o conteúdo ou mesmo na hora de criar resumos ou fazer revisões, por exemplo.

Perguntas e respostas na interrogação elaborativa - O estudante utiliza certas perguntas para conseguir responder e levar a uma compreensão melhor do assunto estudado e, principalmente, memorizar com mais facilidade - este é o objetivo da técnica.

Esta é a sequência de perguntas da interrogação elaborativa: O quê (fato)? Quem (sujeito)? Quando (tempo)? Onde (local)? Como (modo)? Conclusão (final)?

Um exemplo bem simples: Em Direito Constitucional, você está estudando a parte sobre defensoria pública, especificamente o cargo de defensor público, de forma ainda superficial:

O que é? Conforme a Lei Orgânica Nacional da Defensoria Pública - LONDP (Lei Complementar 80, de 12 de janeiro de 1994), a Defensoria Pública é instituição permanente, essencial à função jurisdicional do Estado, incumbindo-lhe, como expressão e instrumento do regime democrático, fundamentalmente, a orientação jurídica, a promoção dos direitos humanos e a defesa, em todos os graus, judicial e extrajudicial, dos direitos individuais e coletivos (artigo 1º), incluindo, dentre seus objetivos, a primazia da dignidade da pessoa humana, a redução das desigualdades sociais e a prevalência e efetividade dos direitos humanos (artigo 3º-A).

Quem? Sobre o defensor público, este tem a função de promover o acesso direto das pessoas hipossuficientes aos direitos que a Constituição e as leis lhes garantem.

Onde? Em todo o território nacional.

Como? (como são aplicados os seus objetivos) I - a primazia da dignidade da pessoa humana e a redução das desigualdades sociais; II - a afirmação do Estado Democrático de Direito; III - a prevalência e efetividade dos direitos humanos; e IV - a garantia dos princípios constitucionais da ampla defesa e do contraditório.

Conclusão: Trata-se da sua conclusão ao assunto.

Interrogação elaborativa e autoexplicação - Refere-se a explicar, de preferência com voz audível, se possível, o conteúdo a si mesmo como se estivesse explicando para outra pessoa.

Simplicidade e eficiência - Depois de um tempo praticando a elaboração interrogativa, o processo passa a ser quase que automático.

Thiago Cabral é auditor-fiscal, coach e professor especializado em concursos públicos

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.