Coluna

Dicas de Concursos: eu não tenho medo de resultados ruins; comemoro

Dicas de Concursos

empregos@diariodonordeste.com.br

00:00 · 26.05.2018 por William Douglas

Só tem resultado ruim quem teve coragem de ir jogar. Só alguém doente da cabeça ou do coração fica feliz com resultado ruim, mas nem sempre uma derrota pode ser considerada "ruim".

Perder com honra, perder lutando, perder dando o seu melhor não é derrota, é jogar o jogo. Perder aprendendo como o adversário joga ou como você deve jogar quando for jogar de novo não é perder: é treinar.

Existem dias bons e dias ruins, resultados bons e resultados ruins.

Não podemos nunca nos acomodar com resultados ruins porque uma série deles é a morte do projeto, seja da carreira, da empresa, do sonho que temos, da meta que buscamos.

Porém, resultados ruins são parte do jogo e, quando aprendemos com eles e não desistimos, eles são as pedras sobre as quais pavimentamos o sucesso.

Eu comemoro meus resultados ruins sempre que dei o meu melhor e minha paga foi a derrota.

Eu comemoro minha coragem.

Eu comemoro meus resultados ruins porque cada um deles é um laudo pericial que pode me ensinar a como jogar melhor o jogo seguinte.

Eu comemoro meus resultados ruins porque sou maior do que eles.

Eu comemoro meus resultados ruins porque eles tornarão maior a minha glória e fornecerão mais páginas quando os livros forem contar minhas vitórias.

Às vezes o livro é a lista de aprovados no Diário Oficial, às vezes são os registros da Junta Comercial, às vezes o jornal que publica uma parte da nossa história.

A história do mundo está em muitos livros e eu aceito estar em qualquer livro desde que ele conte uma história com honra e, por isso, bonita.

Eu comemoro cada dia. Eu comemoro cada derrota. Talvez por isso eu tenha tantas vitórias para comemorar.

Espero que você, que lê esse texto, brinde a si mesmo por cada derrota cujo amargo gosto já provou, que comemore sua coragem, que se orgulhe de si mesmo, que aprenda com elas e que tente outra vez, e outra vez, até que a vitória, enfim, se entregue a você.

William Douglas é juiz federal, professor universitário, palestrante e autor de mais de 40 obras

Últimos Artigos

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.