Reportagem Doc

Território em disputa na divisa entre Piauí e Ceará

A atual discussão inclui a divisa entre os estados pelos municípios de Pedro II e Poranga (Foto: Cid Barbosa)
00:00 · 04.08.2018 / atualizado às 09:23 · 10.08.2018 por Maristela Crispim - Editora

O território situado entre os estados do Piauí e do Ceará, na Serra da Ibiapaba, evolui, há séculos, de uma forma quase que intuitiva. O Decreto Imperial de 1880 bem que tentou arrumar as coisas, mas só criou mais confusão. Limites entre municípios e divisas entre os dois estados são tênues linhas, que podem ser apagadas a depender dos próximos acontecimentos. Em 2011, o Estado do Piauí entrou com ação civil, no Supremo Tribunal Federal (STF), que pode mudar a geografia da região da Ibiapaba como nós a conhecemos.

Está previsto para setembro o início de uma perícia, pelo Exército Brasileiro, requerida pela não concordância com o estudo anterior, solicitado pelo Supremo ao Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), considerando, a cartografia e literatura existentes e também os fatores sócio-histórico culturais e de pertencimento das pessoas que vivem na área. Pelo lado do Piauí, mesmo tendo a família dividida em dois municípios cortados pela PI-213, a agricultora Maria Firmino nem pensa em mudar de Estado: "sou piauiense e sempre serei", afirma. Mas o que vai acontecer independe da vontade da agricultora ou dos outros moradores da região.

LEIA AINDA:

> Muitas incertezas marcam a área territorial em disputa
> Conflito tende a permanecer no limite dos municípios 
> Família vive em dois municípios separados por uma rua
 
Quem levantou a questão foi o ex-deputado piauiense Antonio Uchôa. Segundo ele, pelo desejo de retomar território apropriado indevidamente pelos cearenses e ver as comunidades da área melhor assistidas. Ele acrescenta os potenciais produtivos e eólico da porção cearense da Ibiapaba também como razão da disputa entre os dois estados.

Durante uma semana, percorremos 2.455Km, entre Fortaleza e a área e, na região, de sul a norte, de um lado e do outro da divisa entre os dois estados, ouvindo autoridades, pesquisadores e moradores, fazendo registros e tomando impressões, vendo que a confusão é grande e que ainda pode aumentar diante do litígio que prossegue.

Pela proposta piauiense, 13 municípios do Ceará e oito do Piauí perderiam, ao todo, 2.821,54Km². Destes, Poranga (CE) perderia mais: 66,34%; seguido por Croatá (CE), 32,36%; Cocal dos Alves (PI), 22,82%; e Tianguá (CE), 20,92%. Foi esse o ponto de partida da nossa viagem. Neste DOC, abordamos a perspectiva piauiense. Na próxima semana, cruzamos a divisa para o Ceará para ver outros pontos de vista da questão, que divide e aproxima cearenses e piauienses.

Reportagens

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.