Reportagem DOC

Resenha: esperteza que valeu o gol

00:00 · 05.08.2017 por João Bandeira Neto - Editor assistente

No campeonato cearense de 1954, o goleiro Jairo, do Calouros do Ar, e Veras, lateral esquerdo do Fortaleza, protagonizaram uma das cenas mais cômicas do futebol estadual.

O episódio, ainda vivo na memória de Veras, começa com a disputa do Fortaleza para chegar na final do Estadual daquele ano, já que havia perdido os dois turnos anteriores. Na semifinal, o time enfrentou o Calouros do Ar, precisando de uma vitória para avançar à final.

> Jogadores Esquecidos
 
> Eles fundaram o futebol cearense
 
> Resenha das antigas: água no chopp do craque
 
> Memória  viva e que resiste
 
> Décadas de raça e talento
 
O jogo ia se encaminhando para o 0 a 0, quando, aos 20 minutos do segundo tempo, surge um pênalti para o Tricolor de Aço. Veras vai para a cobrança com um forte chute e o goleiro Jairo ''encaixa'' numa grande defesa.
 

Aí começa esperteza de uma lado e a ingenuidade do outro. Veras corre em direção a Jairo e diz: ''Meus parabéns, Jairo, você é mesmo muito bom''. E correu para abraçar Jairo, que, educadamente, soltou a bola para retribuir o abraço.

Neste momento, Veras chuta a bola para dentro da trave. Gol. Estava sacramentada a classificação tricolor. O episódio gerou polêmica, bate-boca e muita confusão. Ao árbitro, não havia outra alternativa a não ser validar o gol Tricolor.

O Calouros desmoronou e o Fortaleza venceu por 2 a 0, foi às finais e sagrou-se bicampeão cearense.

Reportagens

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.