Reportagem DOC

Mercado de souvenirs

00:00 · 21.01.2017 / atualizado às 21:11 · 10.03.2017 por Cristina pioner - Textos | Fernanda siebra - Fotos

"Oh, meu amor? Quer comprar renda de bilro, de filé, richelieu e bordados em geral"? "Olha a castanha, a cachaça e a rapadura". "Bora levar uma lembrancinha do Ceará? Leve 5 chaveiros e pague 5. Vamos comprar"? Diante de tantos apelos, aliados à simpatia do povo cearense, fica difícil não se render às ofertas anunciadas a todo instante por lojistas e vendedores dos três principais comércios de souvenirs de Fortaleza: Mercado Central, Centro de Turismo do Ceará (Emcetur) e Feirinha da Beira-Mar.

LEIA MAIS 

.Muito além da recordação

.Originais e cheios de graça

.Hoje é dia de feira

.Regionalidade e patrimônio

Além de ser uma das cidades brasileiras mais procuradas no período de férias, Fortaleza é um verdadeiro paraíso para quem deseja comprar lembrancinhas ou souvenirs. Esta palavra, de origem francesa, aplicada como suvenir no Português, significa a venda ou a compra de um objeto para fazer lembrar algo ou alguém. Por isto, aquelas tradicionais frases aplicadas: "Estive em .... E lembrei de você".

Pode até parecer lugar comum, de fato é, mas quem não gosta de ser lembrado por amigo ou parente? Ou mesmo, quem vai resistir de levar um pedacinho, nem que seja simbólico, daquele lugar visitado. Pode ser imã de geladeira, chaveiro, camiseta, bolsa, não importa, o que vale são as lembranças, independentemente de serem materiais ou não. A exemplo disto, temos as experiências sensoriais, como o sotaque, o humor, o sabor, a cultura ou mesmo as paisagens do Ceará, todas podendo ser levadas na bagagem da memória, com a vantagem de não pesar e não ocupar espaço.

Confira documentário sobre lembranças do Ceará:

Confira imagens:

 

Reportagens

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.