Reportagem Personalidade

Lívia Vasconcelos: amor que não se mede

Sempre atenta às redes sociais, a estudante de Direito Lívia Vasconcelos tem 35 mil seguidores no Instagram (Foto: Helene Santos)
00:00 · 09.12.2017

A estatura física pode ser pequena, mas a alegria de viver não tem tamanho para Lívia Vasconcelos. Aos 26 anos, com 1,05 centímetros, seu corpo "transborda", literalmente, de amor, otimismo e compaixão. De personalidade forte e cheia de disposição, não demonstra ser portadora de uma síndrome rara, cujo diagnóstico previa: não crescer, não andar e ter poucos anos de vida. De fato, ela não cresceu, porém, tornou-se exemplo de superação e de inspiração para muita gente.

Desde a infância, aprendeu a lidar as limitações, em todos os sentidos. Estimulada pela família, conseguiu superar várias barreiras comuns às pessoas de baixa estatura. Com segurança e independência, leva uma rotina como a de outras jovens de sua idade. Vai à academia, ao salão de beleza, à faculdade, aos shoppings, baladas, viagens, enfim, passa por cima de qualquer obstáculo para ser feliz. Ah, e ainda ajuda o próximo.

Na escola, estava sempre na liderança. Gostava de participar de tudo: teatro, coral, organização das festas, incluindo a produção do jornalzinho da sua turma. A comunicação, aliás, sempre foi uma ferramenta determinante para Lívia que, não por acaso, vem atuando com sucesso como coach e promovendo palestras motivacionais para empresas, escolas, instituições e presídios.

a
Missão

Lívia assume a missão de transformar vidas, para melhor. "Tem gente que tem medo de viver", dispara a jovem cheia de convicção de que as dificuldades existem para todos, mas que tudo depende de como você vai encarar. "Minha família sempre contribuiu muito comigo. Nunca teve esta coisa de superproteção. E assim eu fui caindo, levantando e ganhando autonomia", explica. Tanto que, ao completar 18 anos, obteve uma das principais conquistas, a carteira de habilitação, o maior passaporte para a sua

Liberdade.

Ingressar no curso de Direito foi outro passo importante para Lívia que, em seguida, também passou a trabalhar no escritório de advocacia da família. Durante muito tempo, conciliou tudo, expediente, estudo, academia, palestras, festas, amigos, namorados e família. "Até motorista eu era. Levava ou buscava minhas irmãs no balé, na natação. Acordava às 5 horas da manhã e seguia noite adentro", recorda.

Renascimento

Em outubro de 2016, entretanto, sua vida deu uma guinada. Ao ser submetida a um procedimento cirúrgico, sofreu algumas complicações respiratórias e, com isso, acabou ficando 129 dias no hospital, sendo boa parte na UTI. "Passei o Dia da Criança, Natal e Ano Novo. Morri umas seis vezes, mas renasci com a minha fé", diz comemorando a cada milagre obtido.

Além do otimismo, destaca o empenho dos médicos e de toda a equipe que cuidou dela, sem esquecer do carinho da família, dos amigos e do namorado Thiago, com quem havia recém-iniciado o relacionamento. "Ele ficou comigo todo este tempo e hoje continuamos juntos. É muito carinhoso, como todo namorado deve ser", fala com convicção. Apesar da baixa estatura, em decorrência de uma displasia espondilometafisária com frouxidão ligamentar, assume, sem pestanejar, a preferência por homens altos.

De olhar expressivo e vaidade à flor da pele, a futura advogada não descuida da aparência nem mesmo quando esteve internada e submetida a uma traqueostomia (procedimento cirúrgico para criar abertura da traqueia, por meio de uma incisão e da inserção no pescoço de um tubo ou cânula para facilitar a passagem de ar para os pulmões).

Na cama do hospital, Lívia fazia questão de manter tudo em ordem, cabelos, sobrancelhas e unhas. Também não abria mão do seu celular. Alguns desses momentos difíceis foram postados por Lívia em suas redes sociais, mas em nenhuma das ocasiões ela se vitimizou, pelo contrário, suas postagens sempre traziam (e trazem) palavras de esperança e de alegria.

Não por acaso, possui 35 mil seguidores em seu Instagram, ferramenta que utiliza para o seu trabalho e também para se divertir. "Todo dia, é um dia de superação", afirma. E é com este espírito de força e fé que Lívia conquistou o merecido espaço.

LEIA AINDA:

> Viver sem medidas: cearenses com nanismo se destacam
> Protagonistas escrevem o enredo da própria história
> Maria Moreira Matos: por uma moda inclusiva
> Irmãs Rosinha e Ceilda: fontes de resistência
> Confira entrevista com Ana Paula Montenegro
> Zizi Batista: arte para sublimar a vida
> Cícero Romão de Sousa: "Eu quero voar"
> Carla Iane Telécio: conectada para se tornar visível
> Sonho multiplicado na vida de Michele Sampaio

 

 
> Em terra de gigantes: combate ao preconceito

Reportagens

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.