Reportagem DOC

Fibra inteligente melhora desempenho esportivo e promete pele mais bonita

00:00 · 01.04.2017 / atualizado às 01:35
Design, conforto e bem-estar são os atributos básicos que o setor têxtil precisa entregar ao cliente final. No entanto, com o consumidor muito mais exigente e seletivo, a indústria também tem que agregar aos produtos tecnologias que proporcionem funcionalidade, saúde e performance. A avaliação é feita por Renato Boaventura, CEO da unidade global de negócios Fibras, do Grupo Solvay, ao qual pertence a Rhodia, empresa que atua na área têxtil.

É de olho nessas tendências que a Rhodia investe forte em inovação para colocar no mercado produtos que atendam às demandas atuais do consumidor. Um dos destaques da empresa é o fio Emana, que possibilita a criação de vestuários bioativos capazes de promover um novo nível de interação entre o tecido e a pele com o objetivo de dar mais bem-estar a quem usa a peça. A inovação foi uma das soluções tecnológicas para o setor têxtil apresentadas pela empresa durante a Colombiatex, realizada em janeiro.

“Emana é uma fibra de poliamida com minerais que emitem raios infravermelhos longos que ativam a microcirculação. A resultante disso é que você melhora a qualidade da pele e reduz a fadiga muscular. Isso além do conforto e da praticidade que essa fibra tem”, diz Boaventura.

Com a tecnologia desenvolvida pela Rhodia, é possível melhorar o desempenho esportivo, diminuindo a fadiga muscular. O uso frequente dos produtos feitos com a fibra Emana também pode reduzir a aparência da celulite, proporcionando uma pele mais lisa e jovem. Esse fio diferenciado pode ser aplicado a peças de lingerie, jeans, modeladores, moda fitness e esportiva, dentre outras.

Conforme a Rhodia, todos benefícios de Emana foram cientificamente comprovados. Além disso, garante a empresa, as propriedades inteligentes da fibra proporcionam um efeito perene, mesmo após infinitas lavagens.

Proteção

Também focando em saúde, bem-estar e funcionalidade, a Rhodia produz fios têxteis de poliamida 6.6 com tecnologias que agregam valor às peças, como o Amni UV Protection, com proteção solar, e o Amni Biotech, que tem ação bacteriostática, evitando o odor da transpiração

“No Nordeste, em cidades como Fortaleza, há uma cultura excelente de usar os tecidos UV protection, por exemplo. Essa nossa poliamida combina as duas tecnologias. Você tem a microfibra de nylon com fator de proteção 50+ aliada à questão da sustentabilidade, de ser biodegradável”, diz.

Ele acrescenta que o fator de proteção solar é uma combinação do fio com a construção do tecido. Por isso, a Rhodia recebe dos clientes – como tecelagens e malharias – amostras dos tecidos feitos com suas fibras e envia para laboratórios especializados para que eles certifiquem que o produto realmente tem o fator de proteção desejado. Após esse processo, a Rhodia entrega sua etiqueta e a certificação aos seus clientes para que o consumidor tenha a segurança de saber que está comprando uma peça que, de fato, possui as propriedades anunciadas.

“Esses produtos fazem parte de uma nova geração de fios que objetiva oferecer mais do que a questão do conforto, da moda, do fashion. Essa geração busca a funcionalidade, trazendo bem-estar e performance, aliado também à sustentabilidade”, completa.

Reportagens

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.