Moda íntima

Dificuldades reprimem a demanda

00:00 · 07.07.2018 / atualizado às 14:03 · 09.07.2018
Image-0-Artigo-2423151-1
Empresa de moda íntima distribui 25% da produção para mercados nacionais a partir do Aeroporto

Com 15 anos no mercado, a indústria de bojos Delfa, cujo parque industrial fica localizado em Maracanaú, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), distribui 25% da produção para mercados nacionais por frete aéreo a partir do Fortaleza Airport. A empresa optou por utilizar o modal desde 2013 por conta da maior rapidez e segurança na entrega dos produtos em comparação a outros modais.

No entanto, a marca avalia que a falta de infraestrutura nos aeroportos para o transporte de cargas e a mão de obra insuficiente (tanto da Secretaria da Fazenda do Ceará como das próprias companhias aéreas) para liberar as mercadorias tem dificultado a utilização do frete aéreo para o envio das mercadorias.

"Se esses gargalos fossem resolvidos, mais demandas seriam geradas, uma vez que o mercado está tendo que absorver a elevada tarifa da nova tabela de frete rodoviário estipulada pela Agência Nacional dos Transportes Terrestres (ANTT)", informou a empresa em nota.

LEIA AINDA:

> Transporte aéreo de cargas abre nova janela de oportunidades no Ceará
> Modal cearense registra expansão de 10% em 2018
> Confira gráfico com o raio X do transporte de carga
> Terminal logístico ainda opera abaixo da capacidade
> Fortaleza receberá novo cargueiro em novembro
> Falta de pessoal atrapalha liberação de cargas vivas
> Retomada do comércio exterior de flores viabilizada
> Alta do dólar favorece exportadores
> Empresas se mobilizam com mais ligações internacionais

A medida provisória que estabeleceu a tabela do frete foi editada em maio pelo governo Michel Temer para acabar com as paralisações de caminhoneiros. A proposta, porém, gerou embate entre setores que alegaram aumento exponencial dos custos de frete rodoviário e provocou uma enxurrada de ações na Justiça. Agora, o Congresso avalia mudanças no projeto.

Valor elevado de frete

A companhia ainda aponta que o alto preço do valor do frete aéreo em relação ao do modal rodoviário, a necessidade de envio de cargas reduzidas para obedecer às limitações dos porões das aeronaves e a inexistência de transportes de materiais químicos (uma das matérias-primas do setor) têm exigido a procura de outras opções para a entrega satisfatória de suas cargas.

"A Delfa pretende continuar investindo em produtos inovadores, de alta tecnologia e confortáveis, se destacando sempre como a maior e melhor empresa de bojos do Brasil. Espera-se que o transporte em geral, principalmente o aéreo, acompanhe o crescimento buscando investir mais em tecnologias, equipamentos e modernização dos seus armazéns", cobra.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.