Reportagem

A bola rolava em todo lugar

00:00 · 03.06.2017

Registros históricos datam que a primeira partida de futebol no Ceará ocorreu nove anos após Charles Miller introduzir o esporte no Brasil. Foi no dia 24 de dezembro de 1904 que Foot-Ball Club e English Team jogaram em um campo onde hoje é o Passeio Público, no Centro de Fortaleza.

LEIA MAIS

Campos esquecidos

Infográfico: confira linha do tempo do futebol no Ceará 

O dia que o torcedor virou goleiro

Futebol dos excluídos

Parte da história

A ideia de organizar uma partida no Estado partiu do jovem estudante José Silveira, que, em 1904, apresentou um livreto com a regras do esporte e promoveu oficialmente o primeiro jogo.

"A partida aconteceu no segundo plano do Passeio Público, onde hoje é a garagem da 10ª Região Militar. Além desse emblemático fato da partida, esse campo ficou sendo utilizado até a década de 1930. Isso é facilmente identificado por fotografias que mostram postes de luz ao redor do campo", detalha o pesquisador Nirez.

Mesmo com a derrota no seu primeiro jogo por 2 a 0, o Foot-Ball Club não se abateu e seguiu suas atividades durante todo o ano de 1905 e sempre atuando no campo do Passeio do Público, até então o único campo de futebol da cidade. Após mudar seu nome para Clube da Vaca, um ano depois, seus principais jogos foram contra os tripulantes dos navios que estavam de passagem pela cidade.

Sem ainda ter a influência para chegar nas classes menos favorecidas, os espaços para a prática do futebol na Capital ficaram restritos ao Centro da cidade nas primeiras décadas do século.

tab

Em 1911 a rivalidade era entre as equipes da Ruas: 24 de Maio e da Barão do Rio Branco

A carência de espaços também levou os jovens recém-vindos da Europa a ocuparem as praças, como a Praça de Pelotas (hoje, Clóvis Beviláqua/Bandeira), Praça da Lagoinha e Praça da Estação.

Início organizado

O primeiro campeonato cearense foi organizado pelos clubes formados por jogadores que atuavam nas ruas do Centro da cidade e dos colégios. Esses jogos criaram as primeiras rivalidades na cidade. Os embates mais conhecidos entre os anos de 1906 a 1910 foram entre o Liceu Foot-Ball Club e o Castelo Football Club, equipes formadas por alunos dos colégios Liceu e Castelo. Em 1911, a disputa ficaria entre as equipes das Ruas 24 de Maio e da Barão do Rio Branco.

"Esses campos que surgiram nas praças foram de suma importância para o esporte ganhar força na cidade. Um fato emblemático aconteceu em 1928, quando uma rádio que ficava próxima à Praça Clóvis Beviláqua transmitiu um jogo que acontecia. Da janela da emissora, os locutores iam narrando a partida", conta Nirez.

Surge o Campo do Prado

Documentos históricos datam que o Campo do Passeio Público e das praças da cidade tiveram atuação até 1930 mas, com o surgimento de novos clubes, uma liga organizada e uma modernização do esporte para a época, criou-se a necessidade de surgir um campo com melhor infraestrutura para receber os jogos e a elite que, aos domingos, ia acompanhar as partidas. Surgia assim o Campo do Prado, local onde hoje funciona o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE).

Inaugurado em 1913, o nome original foi Stadium Sport Cearense. Com forte influência de jovens vindos da Europa, não era difícil de se encontrar nomes ingleses em clubes e estádios do Ceará na época.

tab

Foto da fachada do Colégio Liceu no início do século. Foto : Acervo Nirez

Porém, o local acabou sendo batizado como Campo do Prado, uma menção às corridas de cavalo que havia no local.

O campeonato iniciou em julho e teve Stela e Ceará como os principais rivais. No dia 7 de novembro de 1919, o Campo do Prado recebeu sua primeira decisão de campeonato cearense.

"O Prado tinha um pavilhão onde ficava a arquibancada. De lá, o público assistiu grande parte do início do futebol e começo do interesse ao esporte", destaca Airton Fontenele, escritor e pesquisador do futebol.

Grande aposta de entretenimento para a elite da cidade, o Campo do Prado foi reformado em 1927. Naquela época, o piso do local era formado apenas de barro. "Em partidas mais importantes, vinham caminhões do Corpo de Bombeiros aguar o campo para evitar que a poeira tomasse conta das arquibancadas e prejudicasse o futebol", lembra Airton. Além disso, havia uma cerca de madeira para separar torcedores e campo. "Não tínhamos grandes instalações porque originalmente ele foi projetado para corridas de cavalos, mas, com as suas reformas, ele acabou ganhando ares de campo de futebol e bem mais agradável para o público", conta o pesquisador. O Campo do Prado teve participação ativa nas atividades esportivas na cidade até 1941, ano que foi inaugurado o Estádio Municipal (antigo PV).

Reportagens

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.