Especial Publicitário

Escolha certa

16:55 · 26.04.2018
Valdemir CRC
Valdemir Rodrigues Cândido Júnior, contabilista

Identificação com números. Reputação ética. Oportunidades no mercado. Essas e outras razões levam as pessoas a escolherem a Contabilidade como ramo de atuação profissional. Porém, a satisfação em atuar nessa área é comum a todos os que fazem essa opção para construir sua carreira. É o caso de Luciana Madeira Barros Coimbra, graduada em Ciências Contabeis, com Pós-Graduação em Contabilidade e Planejamento Tributário e Mestre em Administração. “Sempre me identifiquei com números e pessoas. No 1º semestre da faculdade, não tinha certeza se era o que eu realmente queria, mas, quando comecei a estagiar na área, tive a certeza de que era, sim! Hoje, sou realizada em poder contribuir com o conhecimento de novos contabilistas e com a evolução dos colaboradores da minha empresa”, conta Luciana, que leciona em cursos de Ciências Contábeis em Fortaleza e é sócia em um escritório de Contabilidade.

No caso de Valdemir Rodrigues Cândido Júnior, a inspiração para decidir por esse ramo profissional veio de contabilistas que ele conheceu na juventude. “Eram profissionais respeitados, honrados, éticos e bem-sucedidos. Algo que todo jovem profissional deseja se tornar. Logo, busquei seguir o mesmo caminho”, conta o contabilista, que se graduou em Ciências Contábeis e fez MBA em Auditoria e Controladoria. As qualificações lhe deram a certeza de que, para se tornar um profissional como aqueles em que se espelhou, é necessário empenho. “É preciso ter muitos anos de estudo e atualização”, acredita.

DESTAQUE

Na época do Ensino Médio, o estudante João Paulo de Queiroz Alves impressionava os colegas de turma por se destacar com papéis, números e problemas em que estivesse envolvido o uso da inteligência. Um belo dia, em 2003, um amigo lhe apresentou a um contabilista. Daí para fazer a escolha pela futura profissão, foi um passo. “Até pensei em fazer Engenharia Elétrica, mais este ramo de trabalho era mais difícil, já o mercado da Contabilidade é bem aquecido, com várias oportunidades”, compara o profissional, que soma 15 anos de atuação.

A evolução tecnológica também o fez firmar raízes na carreira escolhida. “Saímos de um trabalho rudimentar para rotinas totalmente automatizadas, com escala nos resultados. A Contabilidade passou de uma área de suporte para se tornar próxima do negócio”, diz.

No caso de Francisco José G.Aderaldo, as circunstâncias pessoais o levaram a optar pela Contabilidade. “Na conclusão do 2º grau, em 1986, tínhamos que optar por um curso técnico para constar no diploma. Escolhi Técnico em Contabilidade. Precisando de emprego, essa era minha única qualificação”, relata. “Fui gostando, resolvi fazer faculdade e Pós-Graduação em Controladoria. Hoje, não me arrependo. Estou na profissão há mais de 30 anos e a recomendo para qualquer um que queira iniciar”, garante.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.