Estacionamentos na capital

Zona Azul Digital será ampliada para 19 áreas

Os cartões de papel só irão durar até 31 de dezembro deste ano. Sete aplicativos já estão disponíveis para uso

01:00 · 17.08.2018
Além do celular, os clientes que não tiverem smartphone podem adquirir um cartão digital para utilizar o serviço ( Foto: Fernanda Siebra )

Quem deseja estacionar nas vagas da Zona Azul de Fortaleza deve ficar atento ao novo sistema de cobrança. Desde ontem, a Prefeitura de Fortaleza implementou o Cartão Azul Digital (CAD). De acordo com o Município, além dos cartões de papel já usuais, cujo prazo de validade deve durar até o 31 de dezembro de 2018, os condutores podem usufruir do serviço por meio de sete aplicativos. Desde ontem, a ferramenta está na Apple Store e na Google Play. A Capital dispõe, atualmente, de cerca de três mil vagas de Zona Azul distribuídas pelos bairros Centro, Aldeota, Meireles, Dionísio Torres e Montese.

Durante o lançamento do novo serviço, Arcelino Lima, superintendente da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), revelou que outras 19 novas áreas da cidade vão receber nova vagas. Os bairros a serem contemplados são Benfica, Cidade dos Funcionários, Cocó, Edson Queiroz, Farias Brito, Fátima, Jóquei Clube, Messejana, Papicu, Parangaba, Parque Manibura, Parquelândia, Praia de Iracema, Praia do Futuro, Presidente Kennedy, Rodolfo Teófilo, São Gerardo, Sapiranga e Varjota. Ao final do processo serão 24 regiões da cidade com novos espaços. Entretanto, não existe prazo definido para a ampliação do serviço de Zona Azul.

Na avaliação do superintendente da AMC, Arcelino Lima, os sete aplicativos disponíveis vão facilitar o acesso às vagas. "A opção eletrônica é mais fácil para os cidadãos pois possibilita um acesso seguro, evita fraudes e preços exorbitantes. Além disso, uma das principais vantagens é que os investimentos serão utilizados em prol do serviço de bicicletas com manutenção de ciclovias, ciclofaixas e estações do bicicletar".

Diferente do que é feito atualmente pelos motoristas, não será necessário imprimir o comprovante nem colocá-lo no painel do veículo. À medida que o período for se esgotando o tempo poderá ser renovado a distância, pois um alerta avisa ao condutor quando estiver expirando.

"O procedimento é rápido, cabendo ao usuário realizar um cadastro inicial em que deve informar os dados pessoais e a placa do veículo. Após ser cadastrado, o condutor precisa adquirir o Cartão Azul Digital (CAD), que pode ser pago por meio de cartões de crédito, débito ou boleto (a depender do aplicativo escolhido). Em seguida é necessário apenas ativá-lo e já vai receber um comprovante confirmando que o processo deu certo", afirma o gestor.

Sobre a responsabilidade das concessionárias por carros danificados ou roubados nas vagas, o gestor explicou que o valor cobrado é apenas pelo sistema rotativo de vagas e não pela guarda dos veículos. "Não existe jurisprudência, nenhuma decisão judicial no Brasil, que responsabilizou Prefeitura ou empresa concessionária por danos ocasionados em vagas de estacionamento rotativo. Os estacionamentos rotativos não têm o propósito da guardar dos carros e, sim, a rotatividade da vaga. Existem várias notícias sobre isso, mas é falso. Não existe essa decisão em nenhuma instância da Justiça. Não quer dizer que isso não possa mudar. Em Fortaleza, o cidadão estará confortável pois a vaga terá segurança por câmera. Daremos total apoio para recuperar carros". Serão instaladas 100 câmeras de segurança até o fim do ano nas áreas com vagas da Zona Azul.

Tempo de uso

O tempo de permanência nas vagas de Zona Azul será de uma ou duas horas, podendo ser prorrogado por igual período. Ainda existe a possibilidade desse tempo ser de cinco horas, dependendo da área, não havendo prorrogação neste caso. Cada Cartão Azul Digital (CAD) custará R$ 2,00. No caso dos espaços em que é permitido prorrogar o tempo deve ser adquirido um segundo CAD.

Quem não possui smartphone ou tenha dificuldade no acesso à internet terá a opção de comprar o Cartão Azul Digital nos Pontos de Venda Credenciados (PDVs) devidamente padronizados que estarão conectados à rede. O agente da AMC, por sua vez, vai dispor de um sistema que informará se o veículo pagou pela hora de estacionamento na sua vaga. André Brunetta, representante da Zul Fortaleza, uma das concessionárias do serviço digital, contou que outras cidades já tiveram êxito com o serviço digital. "No momento que a gente traz essa ferramenta para Fortaleza, temos a certeza que será de fácil uso. Já utilizamos em São Paulo com mais de um milhão de usuários. A plataforma é simples. Já temos vários cadastros".

Documentações

Com o intuito de padronizar o atendimento e até de acabar com o trabalho irregular de flanelinhas, as empresas vão exigir dos pontos fixos documentações. "Hoje, para ser um ponto de venda fixo dos cartões, é necessário o Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ), um endereço fixo e conta bancária para poder darmos segurança no serviço", destacou o representante da concessionária Serttel, Pedro Guimarães.

O gerente de operações da AMC, Disraeli Brasil, explicou que a fiscalização será feita de duas formas até o fim do ano. "Na fiscalização atual, feita pelo agente, é preciso verificar o para-brisa do veículo para ver se o condutor adquiriu o cartão físico ou não. A partir dessa nova tecnologia, ele vai consultar também por meio de um aplicativo. A AMC está 'linkada' a um banco de dados de todas essas empresas credenciadas". Segundo Brasil, os bairros Centro e Aldeota são os que mais apresentam multas por estacionamento irregular na Zona Azul.

1

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.