fortaleza

Vacinas contra H1N1 voltam a se esgotar em postos

Parte das unidades ficaram desabastecidas nessa quarta-feira (2). Lote com 32 mil doses chega neste sábado (5)

Na unidade do bairro Meireles, por volta das 16h, usuários que chegavam à procura da vacina eram informados sobre a falta de doses ( Foto: Reinaldo Jorge )
01:00 · 03.05.2018 por Vanessa Madeira - Repórter

Pela segunda vez em pouco mais de uma semana, as vacinas contra a influenza, incluindo a causada pelo vírus H1N1, voltaram a se esgotar em parte dos postos de saúde de Fortaleza. Na tarde de ontem (2), unidades da Prefeitura Municipal e o Centro de Saúde Meireles, gerenciado pela Secretaria de Saúde do Estado (Sesa), encontravam-se sem doses no estoque e não tinham previsão para a chegada de outros lotes da imunização. Conforme a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), uma nova remessa, com 32 mil doses, deve ser enviada pelo Ministério da Saúde neste sábado (5).

Na unidade do bairro Meireles, por volta das 16h, usuários que chegavam à procura da vacina eram informados sobre a falta de doses. Segundo funcionários do local, o posto não recebe novas doses desde a última quinta-feira (24). Também não há previsão de quando uma nova remessa deve ser enviada.

Em busca de proteção para a filha de 4 anos, que faz parte dos grupos prioritários, a fonoaudióloga Kátia Helena já havia peregrinado por outras unidades da Capital antes de chegar ao Centro de Saúde. "Fui hoje em um posto da Cidade 2000 e também não tinha. Até agora, não consegui encontrar. A demanda é muito grande e não tem vacina suficiente para atender", afirma. "Além da minha filha, também quero me vacinar. Sou profissional de saúde e, como fico exposta, a probabilidade de pegar a doença é maior", acrescentou.

Estoque

No posto de saúde Mirian Porto, no bairro Dionísio Torres, as doses da imunização também haviam se esgotado. Assim como na outra unidade, funcionários não souberam informar quando o equipamento receberá novos lotes de vacinas.

"A impressão que a gente tem é que está faltando em todo lugar", disse a bióloga Juliana Menezes, que procurava imunização para a filha de 3 anos. "No posto do Parque Araxá não tinha. Vacinei meu pai lá na segunda-feira, mas hoje já tinha esgotado. Dá uma indignação. A gente fica se perguntando por que não mandam uma quantidade maior de doses, que seja suficiente para todos", completou.

O mais recente lote de imunizações enviado à Capital, com 63 mil doses, chegou aos postos no último fim de semana. O fim dos estoques em algumas unidades confirmou as estimativas da Prefeitura, segundo as quais o número de vacinas recebido garantiria o atendimento por apenas poucos dias. Em apenas 13 dias de campanha, 195,8 mil pessoas já se vacinaram na Capital. No Estado, o número de imunizados chega a 479 mil.

Remanejamento

A assessoria de comunicação da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informou que, enquanto aguarda o envio de um novo lote, previsto para sábado (5), o órgão acompanha diariamente a evolução dos estoques da vacina nos postos de saúde para, quando necessário, realizar o remanejamento de doses de unidades com menores demandas para as mais procuradas. Já a Sesa informou que o Ministério da Saúde deve enviar mais vacinas aos municípios cearenses no fim desta semana. O órgão, contudo, não informou quantas doses serão repassados.

Até o momento, segundo a Sesa, o Ceará recebeu 1,03 milhão de doses da vacina, o que corresponde a quase metade do público-alvo da campanha de imunização contra influenza, formado por 2.286.637 pessoas. Fortaleza já recebeu cerca de 274 mil doses, aproximadamente 43% do total.

A vacinação deve seguir até o dia 1º de junho. Fazem parte do público-alvo idosos com mais de 60 anos de idade; crianças de seis meses a menores de cinco anos; gestantes; puérperas (até 45 dias após o parto); trabalhadores da saúde; professores; povos indígenas; pessoas privadas de liberdade; funcionários do sistema prisional; e portadores de doenças crônicas.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.