Transtornos

Túnel da Av. Borges de Melo é interditado pela segunda vez

Após novo alagamento decorrente das chuvas, o fluxo de veículos foi interrompido pela segunda vez em 9 dias

01:00 · 11.07.2018 por Renato Bezerra - Repórter
Borges de Melo
Na manhã de ontem, a passagem de 300 metros foi tomada pela água, impedindo a travessia de pedestres e veículos. As faixas dos dois sentidos foram interditadas enquanto o trabalho de drenagem da água era realizado ( FOTO: CID BARBOSA )

Uma obra orçada em R$ 30 milhões e pensada para melhorar o fluxo de veículos no bairro de Fátima, no entanto, vem gerando mais transtornos do que facilidades ao trânsito local. Há exatos nove dias de sua inauguração, o túnel Eduardo Dourado da Fonte, na Avenida Borges de Melo, foi interditado pela segunda vez, ontem, em decorrência de alagamento causado pela chuva que caiu em Fortaleza.

> Em 4 dias, chove mais de 180 mm na Capital

Ainda ontem, teve início o processo de substituição das bombas que realizam o escoamento da água pela construtora responsável, a CG Construções, segundo informou por nota a Secretaria de Infraestrutura do Ceará (Seinfra). A previsão é de que o trabalho seja concluído até o fim desta semana.

De acordo com a Pasta, o sistema definitivo de bombeamento terá maior capacidade e, enquanto é implantado, as bombas atualmente instaladas serão reforçadas para esvaziar a cisterna, no caso de haver necessidade. Na manhã de ontem, a passagem de 300 metros foi tomada pela água, impedindo a travessia de pedestres e veículos. As faixas dos dois sentidos foram interditadas enquanto o trabalho de drenagem da água era realizado. A Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) esteve no local coordenando os desvios. Até a tarde de ontem, um sentido da malha havia sido liberado. No último sábado (7), o túnel já havia sido interditado pelo mesmo problema.

A construção do túnel da Av. Borges de Melo teve início em novembro de 2016, sendo entregue à população no dia 2 de julho. Na ocasião, o governador Camilo Santana parabenizou os engenheiros e demais trabalhadores por conseguirem cumprir o prazo de entrega da obra.

VLT

O equipamento faz parte das intervenções do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), ramal Parangaba-Mucuripe, permitindo que este atravesse a via sem cruzar com os veículos. A operação assistida do trecho entre os bairros Parangaba e Papicu teve início na sexta-feira (6), com a inauguração de mais oito estações.

Para o professor de departamento de engenharia estrutural e construção civil da Universidade Federal do Ceará (UFC), Joaquim Eduardo Mota, problemas dessa natureza devem ser previstos ainda na fase de elaboração do projeto de drenagem, necessário para determinar como as águas que chegam ao local, seja por chuvas ou através do próprio lençol freático, sejam retiradas. Entre as opções, explica, está a drenagem por gravidade, em que uma tubulação leva a água para um ponto ainda mais baixo que o nível do túnel, ou a retirada mecânica, através das bombas hidráulicas.

A incidência repetida do problema, avalia o especialista, pode decorrer tanto de um erro de projeto ou de uma falha na execução. "O projeto de drenagem pode ter sido feito mas pode está subdimensionado. As bombas podem ter sido insuficientes, então seria uma erro de avaliação, ou pode ser que esse sistema de bombas não esteja completamente instalado ainda. Isso tem que ser revisto, avaliado e redimensionado", esclarece.

A reportagem entrou em contato com a CG Construções, que informou não estar autorizada pela Seinfra à dar informações. A Secretaria, por sua vez, informou que a empresa está sendo notificada para que execute os trabalhos de acordo com o projeto, sem custos adicionais ao Estado.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.