Corredor Expresso Messejana/Centro

Trecho da BR-116 ainda aguarda municipalização

A Prefeitura só pode implantar o serviço após a aprovação, em Brasília, da municipalização

01:00 · 04.09.2018 por João Neto - Repórter
Image-0-Artigo-2448534-1
Cerca de 12Km da BR-116 ficarão sob responsabilidade do Município, que implantará o restante do Corredor Expresso de Ônibus Messejana/Centro, para a interligação do Terminal de Messejana com o Centro ( Foto: José Leomar )

Carros, motos e bicicletas já podem acessar a Avenida Aguanambi por completo. Em obras desde 2016, a via teve o tráfego de veículos completamente liberado, na manhã desta segunda-feira (3). O trecho é importante para fazer funcionar o Corredor Expresso de Ônibus Messejana/Centro. Para que a Prefeitura inicie as intervenções para a construção do serviço, é necessária a aprovação do processo de municipalização dos quilômetros 0 a 10 da BR-116. A mudança está em tramitação no Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (DNIT), em Brasília, sob análise da Coordenação Geral de Planejamento e Programação de Investimento.

Segundo a Secretaria Municipal da Infraestrutura de Fortaleza (Seinf), em abril deste ano, a Prefeitura e a Superintendência Regional do Dnit no Ceará assinaram um termo de cessão, permitindo ao Município realizar obras na BR-116, entre os quilômetros 1 e 10 da rodovia federal que corta o perímetro urbano da Capital. "Estão faltando de duas a três aprovações para a municipalização. Antes de outubro, já teremos conseguido. O período casa com a licitação para efetuarmos as obras do corredor da BR-116", afirma Manuela Nogueira, secretária de infraestrutura do Município.

Segundo a gestora, a licitação para contratar empresas que irão cuidar das obras do corredor de ônibus está em fase final. A faixa bloqueada em cima do viaduto, destinada ao corredor de transporte coletivo, só será liberada junto com a construção do serviço. Quando concluído, o processo de municipalização, cerca de 12Km da BR-116, ficarão sob responsabilidade do Município, que implantará o restante do Corredor Expresso de Ônibus Messejana/Centro, para a interligação do Terminal de Messejana com o Centro.

Melhorias

Diariamente, a motorista Maria Cecilia Alves, 38, trafega do bairro de Fátima até o Meireles para deixar os filhos na escola, por meio da Avenida Aguanambi. Há dois anos, ela diz sofrer com as dificuldades e até mesmo com o consumo de gasolina do veículo. "A gente quase que dobra a ida para deixar os meninos no colégio. Hoje, na ida e na volta, senti a diferença".

Segundo Disraeli Brasil, gerente de operação e fiscalização da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), a via ainda deve ganhar três novos semáforos até o fim das obras, todos próximos às estações de ônibus - ruas Bonfim Sobrinho e Carlos Gomes; e Av. Domingos Olímpio. Com projeto avaliado em R$ 95 milhões, oriundos de um contrato de financiamento entre a Prefeitura de Fortaleza e o Banco Mundial (Bird), as intervenções na Av. Aguanambi passaram por uma série de adiamentos ao longo dos anos.

A Avenida Aguanambi foi liberada com quatro faixas por sentido até a Rua Coronel Solon, onde também houve a instalação de um binário. "A principal novidade é o binário da Rua Coronel Solon com Rua Padre Matos Serra, eliminando aquela conversão à esquerda que trazia muito congestionamento e até colisões nos horários de pico", informou.

O projeto prevê 1,8Km de faixas exclusivas para transporte público coletivo em cada sentido e também no canteiro central da avenida, prolongando-se por todo o trecho, desde a rotatória da Avenida Eduardo Girão, até a Avenida Domingos Olímpio. A estrutura deve favorecer até 56 mil passageiros, sendo o primeiro corredor exclusivo a ligar Messejana e Centro.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.