idosos lideram estatísticas

Queda é a principal causa de atendimentos no IJF Centro

As fraturas mais comuns são de fêmur, o osso mais longo e volumoso do corpo humano, próximo ao quadril

01:00 · 25.05.2018 por Márcio Dornelles - Repórter

O tombo de uma criança, via de regra, representa vitalidade. Recuperação tão rápida quanto a vontade de voltar a brincar. Adultos ganham alguns ferimentos e eventualmente podem ser submetidos a tratamento. Idosos, homens e mulheres na etapa mais nobre e delicada da vida, estão no outro extremo do cuidado. As chamadas "quedas da própria altura" representam um risco real à saúde física e mental deles, cuja recuperação depende da atuação de uma equipe multidisciplinar, capacitada para um ambiente adverso.

Atualmente, a principal causa de acolhimento de pacientes no Instituto Doutor José Frota é a queda. O hospital é referência no Ceará e um dos mais importantes do Nordeste em traumatologia. Nos últimos três anos, houve diminuição nos números gerais de atendimentos, o que refletiu também nos dados sobre quedas. Apesar da notícia positiva, o cenário ainda é preocupante, até pela complexidade do tipo de caso registrado.

Na emergência da unidade chegaram, em 2015, 14.366 pessoas, sendo 27% de idosos acidentados em tombos. No ano seguinte, 13.983, para 26% idosos. Em 2017, houve uma redução significativa de acolhimentos no núcleo emergencial. Os médicos receberam 11.927 pessoas, também com 26% de homens e mulheres na idade acima de 60 anos. Os dados referentes a 2018 ainda não foram divulgados, mas há esperança da manutenção da redução.

Idosas

No paralelo criado entre crianças, adultos e idosos, o ponto central é a perda óssea, própria da fisiologia humana com o passar dos anos. A osteoporose, mais comum nas mulheres, agrava a condição dos ossos, que ficam mais frágeis e passíveis de fraturas. A chefe de Enfermagem do IJF, Rejane Melo, acompanha todos os casos de fraturas na terceira idade, e lembra que as mulheres costumam ser mais ativas, o que contribui para o número maior de internações.

"Elas têm a tendência de querer manter a rotina de casa, ir para a cozinha. Muitas vezes não aceita ajuda de secretária. Assim, fica exposta a queimaduras, porque a condição dela é diferente e ela não aceita isso", conta. Ávidas para retornar às atividades, as mulheres entram em novo momento de apreensão. Antes mesmo da recuperação plena, muitas resolvem "deambular", caminhar sozinhas, sem auxílio. Pode causar outro tombo, prejudicando a antiga lesão, luxando a prótese, ou gerando fratura diferente.

Recuperação

As fraturas mais comuns são de fêmur, o osso mais longo e volumoso do corpo humano, próximo ao quadril. Os primeiros cuidados são rápidos, a partir da chegada do paciente. Com prioridade, é encaminhado imediatamente para a sala de traumatologia. Constatada a lesão, o passo seguinte é realizar uma bateria de exames pré-operatórios protocolares e, logo, marcar a data cirurgia. No intervalo entre a chegada e a operação, que pode levar de 7 a 15 dias, os pacientes ficam em um espaço específico.

São nove mulheres e nove homens em cada sala, mas a população de internados pode chegar a 27, com o uso do corredor para mais nove idosos. "É o único hospital que tem um espaço para idosos dentro da emergência. Se a gente tem leito disponível, a gente coloca. Se não tem, ele fica no corredor do espaço. À medida que vai surgindo vaga, vamos colocando no leito", explica Rejane. É um momento de extremo cuidado, com o acompanhamento de cada paciente por profissionais de uma equipe multidisciplinar. Além dos médicos, há enfermeiros, nutricionistas, assistentes sociais, dentista e psicólogo.

Para dirimir as dores, o hospital promove festinhas, distribuição de brindes e até terapia ocupacional. Ainda que as idosas representem o público mais sensível, costumam ser transferidas para o Hospital da Mulher.

Os homens ficam mais tempo na emergência, como era o caso de Raimundo Tabosa, 83 anos, no momento da visita da reportagem, na semana passada. Fraturou o fêmur direito ao tentar colocar as duas pernas no mesmo espaço da calça. "Eu não esperava que fosse acontecer um negócio desses comigo", disse, sem esconder o choro.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.