Pessoas em situação de rua

Prefeitura quer ampliar vagas em dormitórios

01:00 · 11.08.2018

O Secretário de Desenvolvimento Social, Direitos Humanos e Combate à Fome, Elpídio Nogueira, afirma que diversas ações estão sendo realizadas e outras programadas, afim de reduzir o número de pessoas em situação de rua em Fortaleza.

> Pessoas em situação de rua  se 'espalham' pela cidade 

Elpídio Nogueira destaca a criação do Comitê em Defesa da População de Rua de Fortaleza, que reúne diversas instituições como universidades, escritórios de Direitos Humanos, e Ministério Público. "Na quarta-feira (8), iniciamos um mutirão que dará celeridade à reemissão de documentos, fundamentais para, por exemplo, obter remédios provenientes do SUS", afirma.

Até outubro, garante Nogueira, dois novos imóveis serão adquiridos pela Prefeitura, o que corresponde ao surgimento de 170 dormitórios. "Estamos em fase final de negociação para mais dois novos imóveis, provavelmente na Avenida Duque de Caxias e outro na Rua São Paulo. Além da dormida, vamos fornecer também a alimentação para estes moradores", pontua.

Conforme observa, só a assistência habitacional não tem funcionado para solucionar o problema. "Se fornecer a casa, eles saem com a justificativa de que vão em busca de alimento. Temos de focar em políticas assistenciais, que consigam suprir as demandas da saúde, assistência social, inclusão e atendimento psicológico", conclui.

Perfil

De acordo o levantamento da Prefeitura, realizado em novembro de 2014, 49,2% dos moradores de rua possuem faixa etária entre 25 e 39 anos. Desses, 79,8% são do sexo masculino, 48,1% afirmaram ter rompido os vínculos familiares e quase 80% declararam usar algum tipo de ilícito. Um novo censo deve ser realizando neste ano.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.