Apesar do descarte irregular

Pontos de lixo em Fortaleza diminuem em quase 50%

Com o auxílio da instalação de Ecopolos, foram recolhidas 262 toneladas de resíduos apenas na Leste-Oeste

01:00 · 26.06.2018
Fortaleza
No ano passado, a Prefeitura também implantou um projeto piloto para evitar o descarte incorreto do lixo na Avenida Leste-Oeste, que é historicamente uma das avenida mais sujas da capital ( Foto: José Leomar )
Image-0-Artigo-2418494-1
A Prefeitura de Fortaleza , por meio da Secretaria de Conservação e Serviços Públicos (SCSP), já requalificou mais de 400 pontos de lixo na cidade, mas o descarte inadequado dos resíduos ainda é recorrente em todas as regionais ( Foto: José Leomar )

De 2015 para 2016, após um ano da aprovação da lei municipal que dispõe sobre o descarte de resíduos sólidos por grandes produtores, quase 500 pontos de lixo foram eliminados. De 1.800 contabilizados em 2015, atualmente, Fortaleza passou a ter 967 pontos mapeados, o que representa uma redução de aproximadamente 46% em três anos. O número ainda serve de alerta para a gestão municipal. Durante a manhã e tarde desta terça-feira (26), a Prefeitura de Fortaleza realiza a eliminação de outros cinco pontos de lixo no bairro Jardim Guanabara, na Regional I. Além de limpeza, a ação promove ainda plantio de mudas, pintura de canteiros e melhoria na iluminação pública.

A Prefeitura já requalificou mais de 400 pontos de lixo na cidade, mas o descarte inadequado dos resíduos ainda é recorrente em todas as regionais. Segundo a Secretaria de Conservação e Serviços Públicos (SCSP), os pontos de lixo ainda são recorrentes por conta do descarte irregular de resíduos e da necessidade de conscientização por parte da população. Os esforços da Prefeitura incluem projetos como o Abrace Seu Jardim, que promove cidadania, limpeza e requalificação de canteiros centrais de ruas como a avenida Major Assis, umas das principais vias do Jardim Guanabara, que será requalificada nesta terça. 92 pontos de lixo eliminados se localizavam na Regional I, e sete ocorreram através do projeto.

No ano passado, a Prefeitura também implantou um projeto piloto para evitar o descarte incorreto do lixo na Avenida Leste-Oeste, que é historicamente uma das avenidas mais sujas da Capital. Em pouco mais de um mês após a inauguração, o Ecopolo Leste-Oeste coletou 262 toneladas de resíduos. No projeto, foram implantados três Ecopontos e 12 lixeiras subterrâneas.

"Infelizmente, ainda vem muito lixo da Praia de Iracema, trazido pelo mar. Mas agora dá pra aproveitar muito mais o local, fica bem melhor pra caminhar e jogar bola, por exemplo", revela Alécio Fernandes, um dos idealizadores do Coletivo Natora, que promove atividades culturais e a educação ambiental na orla da Avenida Leste-Oeste.

Desde 2015, está em vigor a Lei Municipal Nº 10.340, que dispõe sobre o descarte e destinação de resíduos sólidos por empresas. A lei estabelece que empresas, indústrias e equipamentos que produzam lixo acima de 100 litros por dia são responsáveis pela coleta e destinação dos resíduos próprios. Elas devem custear o processo de coleta, tratamento e destinação final, de acordo com a Lei Federal Nº 12.305.

A Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis), desde que a lei entrou em vigor, já fez mais de 5 mil autuações até maio de 2017, que variam de R$ 811,10 e R$ 20.277,00. Segundo o diretor de operações da Agefis, Neuvani Vasconcelos, a educação ambiental também deve ser promovida paralelamente às fiscalizações, com o objetivo de "dar meios para que a população preserve a limpeza dos locais", e dar continuidade a esse trabalho que "não pode cessar".

Fique por dentro

Lei municipal nº 10.340, criada em 2015

Conforme o decreto de 2015, geradores de resíduos sólidos comuns acima de 100 litros por dia, resíduos da construção civil acima de 50 litros por dia e resíduos perigosos de qualquer volume são considerados responsáveis pelo custeio dos serviços de segregação prévia, acondicionamento, transporte interno, armazenamento, coleta, transporte externo, tratamento e destinação final ambientalmente adequada ou disposição final ambientalmente adequada de rejeitos.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.