REQUALIFICAÇÃO

Polo de Economia Criativa, Centro terá Cuca da Moda

Projeto inclui circulação de ônibus entre espaços, cursos de capacitação, desfiles, agências de microcrédito e startups

A José Avelino teve as calçadas alargadas e calçamento recolocado ( Fotos: José Leomar )
01:00 · 09.04.2018 por Lêda Gonçalves - Repórter
A comerciante Leni Lima, dona de boxe na José Avelino, reconhece as melhorias, principalmente para quem vai ali comprar. "Temos conseguido clientes da cidade, o que é legal. O pessoal que vem aqui fica impressionado com a organização", diz ( Fotos: José Leomar )

O reordenamento e a requalificação da Rua José Avelino e seu entorno, no Centro de Fortaleza, completam, no dia 6 de maio próximo, seis meses. Como forma de assegurar o uso permanente e adequado dos espaços públicos, além de fortalecer o comércio de confecção, artesanato e bijuteria da área, o bairro terá um Cuca da Moda voltado exclusivamente para o setor. A informação, exclusiva, é do prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio.

Segundo ele, 32 galpões que assinaram o Termo de Compromisso e Ajustamento de Conduta (TAC) e se adequaram às regras de segurança, mobilidade e conforto definidos pelo pacto, receberão o Alvará de Funcionamento durante a apresentação do Plano, no próximo mês. A ideia, adianta, é transformar o bairro em Polo de Economia Criativa, o que vai beneficiar todos os pontos desse comércio, como o Buraco da Gia, o Centro de Pequenos Negócios (antigo Beco da Poeira) e Fashion da Jacarecanga, Mercado Central e pequenos shoppings da Av. Alberto Nepomuceno e arredores.

O projeto do Cuca, afirma o gestor municipal, inclui uma base do Sebrae de qualificação, com agencias de crédito, de microcrédito voltadas para o segmento, do Banco do Nordeste, e ter um grande espaço, de capacitação principalmente para jovens, com cursos de designer, pequenas empresas de startups do setor, de desenhos, ter um grande espaço socioeconômico. "Além de um museu com a história da moda da cidade e, mensalmente realizar eventos da iniciativa privada, com apoio da Prefeitura, desfiles, gastronômicos, que mexam com a economia criativa ou da moda", destaca. E não fica por aí. Em paralelo às mudanças previstas para o Centro, em um conjunto de ações, está previsto, por exemplo, um polo de estacionamento para ônibus que chegam de várias cidade do Interior e de fora do Estado, e para isso, será implantada uma linha de ônibus e vans durante as feiras, que vão fazer o circuito da moda entre esses pontos para garantir uma integração maior entre eles. "Outra questão importante é que o ônibus turístico que vai começar a rodar a partir de junho, vai passar, além do Mercado Central, das praças do Centro. A ideia é colocar também no roteiro alguns pontos da economia voltado para esse segmento", diz Roberto Cláudio, acrescentando que a primeira reunião com todos os atores envolvidos para analisar projeto acontecerá ainda nesta semana.

Wagner Ferreira

Para o dono de boxe Wagner Ferreira, as novidades serão importantes e vão ajudar os comerciantes dessas áreas a retomar a clientela antiga e conquistar novas pessoas, mas, lembra, é preciso mais segurança e a manutenção do ordenamento (Foto: José Leomar)

O titular da Secretaria do Centro, Adail Fontenele, frisa que, dos 96 galpões, localizados na José Avelino e seu entorno, 32 vão receber o Alvará de Funcionamento. O restante deve ir se adequando aos critérios do TAC. "O Polo de Moda, que beneficiará desde o Centro Fashion, incluindo Castro e Silva e João Moreira, até o Buraco da Gia, trará mais segurança, empregos, renda para os comerciantes, mais incentivo e conforto para clientes, assim como já acontece na Maraponga", comenta.

Para ele, a revitalização do Centro passa também pela recuperação e reformas das praças, cabines para Policia Militar e Guarda Municipal. As praças José de Alencar e da Estação sofrerão intervenções mais radicais. "A ideia, ainda em análise, é implantar o mini terminal na José de Alencar, interligando o metrô e pontos de bikes, o que é muito bom para quem circula, trabalha e mora na área".

Outras praças, como a José Bonifácio, Lagoinha, da Bandeira e Cristo Redentor, também passarão por obras. "Sem falar na Coração de Jesus e da Criança, onde um concurso de ideias está com inscrições abertas para arquitetos. Elas foram as preferidas em consulta popular, realizada recentemente, onde 21 mil pessoas votaram e optaram por nove áreas e essas duas consideradas prioritárias".

Além de novas linhas de ônibus e binário, que deve abranger a Avenida Duque de Caxias, Meton de Alencar, no Sul, e Pedro Pereira, no Norte, ou Pedro I. "A faixa exclusiva da General Sampaio, por exemplo, já dá 108% a mais de ganho de tempo para quem circula ali", comemora.

Atração

Para quem comercializa ou faz compras na área, as mudanças são esperadas com ansiedade. É o caso da vendedora e dona de boxe de um dos galpões da José Avelino, Leni Lima. Para ela, tudo mudou para melhor desde a reforma da via e já sente a presença, ainda que tímida, da população da cidade. "Quanto a feira era na rua, a gente esperava os clientes vindos de fora, agora, gente de vários bairros está vindo aqui e isso é novidade", frisa.

O dono de boxe Wagner Ferreira avalia que, para ser melhor, é preciso mais policiamento, principalmente durante as noites e madrugadas das quartas para quintas-feiras e dos sábados para domingo, quando são realizadas as feiras nos galpões. "Acho que é necessário também maior divulgação, pois continuamos com mercadoria de ótima qualidade e preços baixos".

Para uma das clientes, a corretora de imóveis Diva de Alcântara, a preocupação é manter esse ordenamento com mais segurança e limpeza. "Assim é atrativo para quem vem aqui e tem muita gente que nem sabia dessas mudanças", comenta.

Um dos diretores do Centro Fashion da Jacarecanga, André Pontes, afirma que o empreendimento, que completa um ano no próximo dia 26, veio para fortalecer o segmento de confecção e é um dos entusiastas da criação do projeto do polo de moda do Ceará. "Temos a certeza que todos sairão ganhando: os empreendimentos, a criação de empregos e o povo fortalezense". O Centro Fashion recebe, em média, na baixa estação, 10 mil pessoas por feira. Ali, a estrutura é composta por 3.5 mil boxes, lojas e megalojas e inclui Praça de Alimentação, vagas exclusivas para 150 ônibus, vagas de estacionamento para 300carros.

Na perspectiva do Plano Turístico da Cidade, diz o prefeito, a meta é divulgar o polo como sendo espaço convidativo. "A maior conquista ocorrida nos seis meses da retirada de feira dali, foi manter o espaço público ordenado, sem feira de rua e o acordo com os galpões pela sua regularização e legalização", pontua.

Fique por dentro

Conforto, mobilidade e acessibilidade

A feira, antes localizada em plena Rua José Avelino e entorno, surgiu no início da década de 1990. Ali, entre as madrugadas de quartas e quintas-feiras e sábados e domingos, a atividade era desordenada, com prejuízo para os comerciantes regulares e trânsito da área. Originou-se na Praça Caio Prado, também conhecida como Praça da Sé. Em 2011, a Prefeitura proibiu a ocupação daquele espaço público, causando a mudança do local da feira. Ressalta-se que antes da proibição da ocupação, no ano 2000, alguns feirantes já comercializavam produtos na Rua José Avelino, ao mesmo tempo em que a feira ocorria na Praça Caio Prado.

A retirada e início das obras da Rua José Avelino e Avenida Alberto Nepomuceno aconteceram em maio do ano passado. Ali, o calçamento foi recolocado e se mantém preservado. Sobre ele, também está o trilho do antigo bondinho que circulava no Centro. No trabalho, orçado em R$ 2 milhões, as calçadas foram alargadas e receberam acessibilidade. Houve instalação de ciclofaixa e ecoponto na região. As vias foram pavimentadas e recapeadas.

A Avenida Alberto Nepomuceno, um dos principais corredores turísticos do Centro, passou por urbanização completa, com novas calçadas, recapeamento asfáltico, faixas elevadas para pedestres, ciclofaixa bidirecional e novo canteiro central.

Além da desta avenida, outras quatro ruas da região foram asfaltadas, como as ruas Conde D´Eu, Rufino de Alencar, Sobral e também a Travessa Icó.

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.