Vacinas

Os setes postos de saúde da Capital ficaram lotados

01:00 · 23.04.2018
Image-0-Artigo-2391064-1
No posto de saúde Paulo Marcelo Martins Rodrigues, no Centro, as filas de prioridades se estenderam para fora da unidade de saúde ( Fotos: Helene Santos )

A campanha de vacinação contra o vírus influenza lotou os postos de saúde do Município desde que foi dada a largada para a imunização do grupo prioritário na última sexta-feira (20). Durante a semana, todos os postos são utilizados para o serviço; no fim de semana, foram sete espaços responsáveis pela distribuição de vacinas.

Os postos de saúde dos bairros Jacarecanga, Meireles, Centro, São João do Tauape, Rodolfo Teófilo, Benfica, Mondubim e Messejana iniciaram os procedimentos às 8h e continuaram até as 17h. Idosos, gestantes, pessoas com doenças crônicas, professores, trabalhadores do sistema prisional, crianças menores de cinco anos e mães com filhos nascidos até 45 dias são o foco da campanha, que deve seguir até o dia 1º de junho. Na sexta e sábado, só o Município de Fortaleza recebeu 181 mil doses.

No posto de saúde Paulo Marcelo Martins Rodrigues, no Centro, as filas de prioridades se estenderam para fora da unidade de saúde, chegando até a esquina da Rua 25 de Março com vias adjacentes. De um lado, ficaram idosos e pessoas com doenças crônicas; do outro, grávidas e mulheres com bebês.

Lá dentro, o bancário Roberto Paiva, de 52 anos, levou o filho de três anos e meio por causa da preocupação. "O surto está incomodando, no colégio tem um caso suspeito. A gente veio por precaução". Na rotina, ele descobriu que também fazia parte do grupo prioritário, por ser hipertenso, e resolveu aproveitar a viagem, mas criticou a logística: "está uma desorganização lá fora de filas, de comunicação".

O cenário da quantidade de pessoas não era muito diferente no posto de saúde Carlos Ribeiro, no Jacarecanga. Mariana Pinheiro, grávida de gêmeos, aos oito meses de gestação, por sua vez, elogiou o serviço do equipamento. "Tem muita gente nas filas, mas os profissionais são bem preparados, atenderam muito bem, tudo separado e organizado", pontuou. "Eu já estou em uma gestação muito evoluída, e o risco da contaminação é muito grande porque, além de eu estar grávida, sou professora, tenho contato com muita gente e nós sabemos que o surto está geral", frisou Mariana.

"Todos os postos estão lotados com muita gente mesmo, estão vacinando cerca de mil a duas mil doses por dia. É bom porque a população está se protegendo", ressaltou Vanessa Soldatelli, coordenadora de imunização da Prefeitura de Fortaleza, ao considerar importante a ida da população aos postos em razão do período de ativação da vacina, cujo resultado só é atingido após 15 dias.

Segundo a gestora, "as pessoas não precisam correr todas no mesmo dia, mas, quanto mais rápido vacinar um número grande de pessoas, melhor". Conforme Vanessa Soldatelli, a meta é atingir 630 mil pessoas do grupo prioritário até o prazo definido.

Para isso, foram recebidas pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) - e posteriormente distribuídas aos postos - 125 mil doses na quinta-feira (19) e 56 mil no sábado (21). "A gente vai vacinar até que acabem as vacinas porque nós recebemos um quantitativo muito pequeno para iniciar essa campanha", disse.

A previsão é de que, na quarta-feira (25), o estoque seja reposto. De acordo com Soldatelli, ainda há confusão no que diz respeito ao grupo prioritário da área. "Trabalhadores da Saúde, que têm contato direto com pacientes, precisam ser vacinados; demais profissionais vão ser vacinados quando a meta for atingida".

© Todos os direitos reservados. O conteúdo não pode ser publicado, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização. Passível ação judicial.